topbella

sábado, 19 de julho de 2008

Hakani: o direito pela vida!!!


Talvez este seja um post longo, até mesmo um pouco corrido, mas gostaria que o lessem de verdade, quero muito saber a opinião de vocês...

Estou perplexa. Acho que a palavras é esta. Também estou confusa, e como tenho certeza que este meu post vai ser um tanto quanto polêmico, já estou gostando da idéia. Vamos debater! rss

Estava assistindo a um documentário essa semana e fiquei assim, perplexa e confusa. O assunto? rituais indígenas.

Ok, eu sei que são culturas diferentes, e que o "homem branco" já mexeu demais com a cultura indígena e essas coisas todas, mas o que eu vi me assustou, mexeu comigo e me fez repensar nesse distanciamento que mantemos. Bem, vamos ao que interessa...

O documentário falava do infantícidio - termo usado para se referir ao assassinato de crianças indesejadas- praticado nas tribos indígenas de nosso país. Crianças nascidas com alguma deficiência, física ou mental, filhas de mãe solteiras ou frutos de incesto são sacrificadas para o "bem" da tribo, pois todas estas são "crianças sem alma".

O problema vai além, caso haja uma epidemia, ou algo parecido com os pequenos curumins, são todos sacrificados, pois tal epidemia é um sinal se uma "safra" de crianças sem alma. O sacrifício consiste em enterrar estas crianças vivas!

Assisti com meus olhinhos arregalados o enterro de duas crianças, vi a terra cobrinco seus corpos, ouvi o choro vindo debaixo da terra. Acho que nunca mais vou esquecer destas cenas. Como nunca mais vou esquecer também ta coragem da mãe que deixou a tribo para continuar com seu filho com paralisia cerebral em seus braços. E como nunca, jamais vou apagar da memória a coragem e a expressão de afeto de um jovem curumim que desenterrou com as mãos sua irmã que chorava muito em baixo da terra, enfrentando não só a tribo, mas a repulsa e o ódio dos índios mais velhos, já que aquela menina sem alma trazia espíritos malíguinos com ela, capazes de criarem uma forte tempestade.

Pelo que eu entendi, existe em Brasília um projeto de lei (Lei Mawaji) que tenta acabar com o infantícidio nessas tribos. Como não poderia deixar de ser, há uma grande polêmica em torno da lei no sentido desta ser ou não uma invasão e uma proibição da expressão cultural destas tribos. Aliás, segundo o deputado Francisco Praciano " a declaração dos direitos humanos não valem para índio." Pra mim, vale. Antes de índios, eles são humanos... ou não?
Ok... pode até ser uma invasão, mas eu acredito que acima de qualquer cultura, de qualquer lei na FUNAB, FUNAI ou sei lá o órgão, existe uma lei maior... a lei da vida. Independente da raça e etnia que essas crianças pertencem, elas não podem perder a vida só por apresentarem alguma deficiência, ou por qualquer outro motivo idiota que seja. Ao meu ver, preservar a existência dos índios brasileiros, implica diretamente em preservar a visa dos jovens curumins, para que estes levem adiante as tradições que valem a pena continuarem a existir.

Isso é o que eu acho, mas... não sei se estou certa de que acho o melhor, o mais correto. E também se não for, dane-se, por que até agora ninguém conseguiu mudar minha opinião, rss...

Bom, gostaria da opinião de vocês... é um assunto delicado e complicado, e seria muito legal debater sobre.

Ahhhhhhhhhh.... visitem o site... http://www.hakani.com.br/pt/default.asp lá tem o documentário e toda a história melhor explicada. ^^

Ps: Não ando querendo escrever poeminahs ou tentativas de poeminhas... deve ser uma fase, sei lá... rs

22 comentários:

Net Esportes disse...

Eu imagino como deve ter sido forte as cenas do tal documentário e trsites também pela sua descrição, mas na humilde opnião não se pode querer mudar um cultura indígena, nem de qualquer outro grupo social, já expulsamos eles de tudo quanto foi lugar ao "dominarmos" este país, eles tem que ser mais é protegidos doque moldados ao que seria o "nosso modo de ver as coisas"

Te convido para visitar meu blog, é sobre esportes
http://netesporte.blogspot.com/

..::Confessionário X::.. disse...

Poiséh guria!!!
Esses nossos 20 e poucos anos,
que fazem com que cada dia seja
diferente, cada sentimento e
cada vontade!!!

Valew pela visita, lindo blog!

bjao!

instantes e momentos disse...

lindissimo post, lindissimo blog.Parabens, gosto daqui. Nuito bom.
Ótimo fim de semana
Maurizio

Nathália disse...

É um absurdo enorme. Mas querendo ou não, é um absurdo pra gente.
Sei lá, acho isso muito relativo.
Eu fiquei chocada, mas interferir no que eles acreditam por acharmos ser melhor, pra mim, é falta de respeito.

Por mim, essa prática acabaria. Mas pra eles isso garante a 'sobrevivência' da tribo. A típica frase: "antes sacrificar um do que o todo".

Fiquei dividida.
Beijo!

Nataliinha disse...

Que isso gente ?!
Vc falou tudo, antes da cultura indigena, são SERES HUMANOS .

Beijos ='*

Anônimo disse...

Afirmo que há algumas coisas que sempre são certas e outras que sempre são erradas, independente de cultura. Sei que isso é meio contra-mão hoje em dia, mas não importa. A idéia é absurda que simplesmente porque algo faz mínima parte de uma cultura quer dizer que é laudável e merece preservação mesmo ao custo de outro benefício óbvio (pelo menos aos não-bobos) da cultura ou até ao custo das próprias vidas de pessoas da cultura; absurda, repito. Por exemplo, aborto faz parte da cultura norte-americana; "Ah, mas é cultura deles! Sim, milhões de vidas estão sendo jogadas fora como papel higiênico usado, mas quem sabe não entendemos a cultura deles. Quem somoish nóish de condenar?" ixi. É cultura, é OK! Não!

Negócio é que nesta situação não são os "brancos" que querem mudar a cultura indígena; são os próprios índios. São eles que estão clamando por socorro da vida. Como qualquer outro ser humano deve, alguns índios reconhecem que essa prática de infanticídio, seja algo antes praticado ou não, é universalmente aberrante e indesculpável. Há, sim, direitos humanos universais--quer reconhecidos pelo Deputado Francisco Praciano ou não, quer garantidos pela Constituição Brasileira ou não--pelos quais é o dever de qualquer ser humano lutar para segurar ou preservar em prol de seu irmão menos-prezado.

"A Declaração dos Direitos Humanos não vale pra índio. A Constituição não vale pra índio." --Deputado Francisco Praciano
Que maior bobagem! Todo Brasil deve se levantar para jogar fora esse ... sei lá .... Quer dizer que índio nascido dentro do território nacional não é brasileiro?! Quer dizer que índio é menos de ser humano?! Bosta, digo eu! Se é mesmo que nem se liga com seu companheiro-criatura, então tira seus dedinhos riquinhos da massa lá em seu suíte ar-condicionado em Brasília ou Manaus ou sua mansão ou sei lá aonde, e deixa que os próprios índios e a gente lá na selva vivendo a situação que realmente ama os índios (e isto reconhecida por eles mesmos) cuida da situação. Nota bem que nenhum índio foi forçado fazer este filme--fizeram pq eles já estavam gritando, mas ninguém escutava.

Sr Praciano, essa índia que adota as vítimas e essa criança que resgatou sua irmãzinha são muito mais homem, são muito mais brasileiro que você; pode ser que nem roupa possuem, mas pelo menos têm coração.

São disse...

Minha linda, estou chocadíssima com a posição desse idiota ( peço desculpa pelo qualificativo) acerca de que os Direitos Humanos não são válidos para índios.
Claro que essa é uma tradição que não se deve nem pode respeitar!!
Crianças enterradas vivas?! E ainda existe alguém com dúvidas?!
Mas em que mundo estamos?!
Uma feliz semana.

Marina Melow disse...

Nossa, nunca imaginei que fosse de tão perto!

Eu já divulguei em algumas comunidades.

Obrigada!

Mary West disse...

Acho que tens razão em ficar chocada, mas como jah foi dito, é tradição cultural, isso pesa muito mesmo para eles. No caso tb apenas defendo o ponto de vista indigina, pior são grandes populações e estudadas como a ocidental que ainda persistem no sacrificio de meninas.

♥тєcα♥ disse...

Meu Deus flor que absurdo,acho que se eu não me engano na China se você tiver mais de um filho e ele nascer com o sexo feminino eles matam a criançapois mulheres são consideradas impacazes de trabalhar futuramente,na opinião deles;agora meu,enterra uma criança viva,e não só por ser uma criança um ser humano,nossa flor fiquei passada com isso,masi tarde dou uma navegada no site que tu indicou!
Beijos Ma,feliz dia do amigo linda e otima semaninha pra ti!

Grahan disse...

Excelente! Post muito bom!

Na época da inquisição, a Igreja Católica queimava hereges também "para o bem da humanidade e da palavra de Deus". Se tocaram um dia que isso era crime e não santidade.
Além dessa coisa aí dos índios, existem muitos rituais religiosos que não me entram aqui na cabeça, não consigo entender. Como é o caso do islamismo que à primeira mesntruação, a garota tem o clítoris cortado para não sentir prazer. Algumas meninas ficam traumatizadas e outras chegam a morrer de hemorragia, visto que tudo é feito em casa, pelo pai. Nada de médicos nem anestesia.

E na China que o controle de natalidade faz com que pais que já tem um filho, joguem (literalmente) recém-nascidos na valeta, no meio-fio das ruas para não pagarem multa ao governo...

Infelizmente, é a diversidade cultural. Ela ainda está acima dos direitos humanos. Por vezes ela é boa (a maioria), em outras, não. E a vida segue...

Mario Rodrigues disse...

Amiguinha, sempre fui um pouco conservador, e acho k ninguem deve mexer com a cultura dos povos. Mas neste caso, fikei um pouco arrepiado. Alguem vai ter k explicar a essa tribo, k é errado o que estao fazendo. Explicar k a vida, é o que de mais precioso os humanos possuem. Mas ensinar, nao justiçar, porque a cultura é deles, e é conveniente nao chegar la com os modos arruaceiros de que o Homem por vezes é capaz.

“Amigo é aquele, que você sente
Sempre estar presente
Em qualquer instante”

Uma linda semana

Bjinho amigo

Mario Rodrigues

Em espaço de partilha:
http://toquedeestrela.blogspot.com
http://sensualidadeemletras.blogspot.com

O Árabe disse...

Concordo em tudo com você, Celly. Principalmente em que todos temos direito à vida. Belo post!

HenriqueM disse...

Para mim é tudo ponto de vista. Pelo o que li, eu digo: sou contra, pois concordo contigo sobre a lei da vida.
Mas é a cultura deles, acho que eles devem ser livres para continuar com seus costumes. Não é apenas porque o homem branco tem leis mais elaboradas que ele pode mandar nos não brancos.
E veja a nossa sociedade como está? Milhares de crianças são assassinadas todos os dias, morrem de fome e não são noticiadas.
Acho que a porcentagem de crianças sacrificadas não passa nem perto das crianças que morrem todos os dias pelo Brasil.

Mas enfim, não sou índio. E não fui uma criança sem alma, rs.

Bem, é essa a minha opinião.

Beijos.

Adrielly Soares disse...

Eu não vi ainda o documentario, acho sim que cada um tem sua crença tal, não sei se seria legal interfirirmos. =S
Talvez eu esteja tomando uma posição comoda de o problema é deles, mas não é por comodismo, é porque eu realmente acredito que seja assim.
É que uma criança deficiente é totalmente dependendo de quem cuida e na tribo ind´´igena as crianças serão os que traram comida futuramente sabe? Os que cuidaram da tribo, cada um tem seu papel da vida indígena, e uma criança deficiente seria um "peso", ou não cumpriria o papel destinado a ela entende?

Claro que é desumano enterrar alguém vivo, claro que é desumano matar alguém. Poderiam entregar pra adoção. Acho que aí sim os órgãos poderiam entrar e decidir alguma coisa. Matar é desumano. Acho que a entrega pra adoção seria uma saída.

ஜॐ♥ஜ_Estrelinha_ஜॐ♥ஜ disse...

Olá M@celly...
venho agradeçer e retribuir a visitinha ao sensualidade em letras...

beijito meu e mais uma xs obrigado

Everton Domingues disse...

Conheci teu blog vindo da página de um colega. Gostei muito do teu texto. Tema forte, mas escrito com uma verdade tua. Sem máscaras, como deveriam ser a maioria das manifestações do ser humano. Mas 'nós', invariavelmente, nos escondemos e na maioria das vezes deixamos de mostrar nosso melhor... por puro medo ou ignorãncia. Se posso pedir ao Pai e ser atendido, peço por sabedoria. A sabedoria vai direcionar meus passos e poderei extrair o melhor da vida.
Cultive tb esse propósito...
Bj no teu coração e parabéns pelos teus tectecs...

Everton
www.beijingolimpica.blogspot.com

Ivan disse...

Bom...
Os povos ditos não civilizados têm seus rituais e muitos deles divergem com o que chamamos direitos universais.

A questão é que os índios selvagens são imunes aos artigos de nossas leis.

Mas, se o Estado resolver transformar em lei a proibição de certasm práticas, nesse caso, por exemplo, ele vai amparar as crianças?

A discussão, como se vê, é grande, muito grande.

Ivan disse...

Ah...
Não sei se era para tanto, mas, pode anotar o que quiser do meu blog, ok?

.a negra. disse...

É uma opnião cheia de controvérsias...
cada qual ao seu qual e cda um cou seu jeito né?

Sou adepta ao valor cultural que eles devem ter, mas é radical ao meu ponto de vista na -NOSSA- sociedade.

o.Ô fiquei a pensar...

beijus

O Profeta disse...

Mágnifico post!


Olhando de perto o teu olhar
Vejo raios voando na procura
Anseios depositados no vento
Uma secreta maré de ternura


Vem comigo visitar o vale dos milhafres


Boa fim de semana


Mágico beijo

Mau Camus disse...

Como determinar "as tradições que merecem continuar existindo"?
Imagina entrarem em sua casa e determinarem o que deve ou não ser feito? Complicado.
Abs

About Me

Minha foto
♥MáH♥
Alguém aprendendo a lidar com emoções, sentimentos...alguém aprendendo a viver.
Visualizar meu perfil completo