topbella

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Querido Papai Noel


Faz tempo que não te escrevo né?

Muitos, muitos anos.... aliás, acho que só escrevi uma vez...

Sabe papai Noel, eu não sei bem o que escrever, o que pedir... Mas não custa tentar.

Antes de tudo, preciso dizer que não fui tão boazinha assim. Tive momentos de ira, de sarcasmo e até de auto-vaidade.

Mas sabe papai Noel, aconteceram tantas coisas né... e cá entre nós eu fiz tanto que merecia reconhecimento, não dos outros, mas de mim mesma. Eu precisava me enxergar de verdade.

Enfim papai Noel.... acho que mereço um super presente, não é mesmo?

É claro que eu quero encontrar o amor, é claro que eu quero me apaixonar de verdade ( coisa que eu tenho medo de não acontecer mais)... mas hoje Papai Noel... hoje eu só quero sorrisos.

Quero sorrisos em todas as faces que a tempos não sorri. Eu sei que são muitas, mas por favor papai Noel.... só por hoje.

Sorrisos de satisfação nos que tinham fome e comeu. Sorrisos de alegria nos que estavam desiludido, mas encontrou uma esperança. Sorrisos de felicidade nos que queriam muito algo...e conseguiram.

Por favor papai Noel... só por hoje!


Um beijo!

Feliz NAtal!!!!

Marcele Millen

sábado, 13 de dezembro de 2008

Borboletas...






[...] e então inicia-se a caça as borboletas. As lindas borboletas que, creio eu, devem exibir nuances de rosa, roxo e lilás...

Como elas chegaram, não se sabe. Talvez tenham surgido uma a uma, se instalando cuidadosamente para que não fossem percebidas. Talvez chegaram em bando, todas juntas, invadindo tudo no mesmo segundo.

E com tantas borboletas, perde-se o sono. Com tantas borboletas, descontrolou-se os sorrisos, ruborizou-se a face, nasceu o desejo, formou-se o afeto.

E agora elas brincam...voam de um lado para o outro em rasantes quase musicais.

Mas embora sejam elas lindas e frágeis, não são inofensivas... Fizeram moradia num só local, e por isso precisam der dominadas.

Serão caçadas uma à uma, de pouco em pouco. E então, irão brincar no azul do céu. Talvez sobreviva apenas uma, para espantar a indiferença e o total esquecimento...

Enfim, o que importa é que está aberta a temporada de caça as borboletas. E confesso que algumas delas já nem existem mais; foram esmagadas pelas minhas "próprias mãos".

Isso porque, essas borboletas precisam brincar no céu, ou em qualquer outro lugar que não seja meu corpo, minha barriga, meu coração.


( Só quem conhece a expressão " borboletas voando na barriga" entenderá de fato, esse post, que por sinal foi escrito a algum tempo... tenho que postar mais no meu blog, para que tudo não fique tão atrasado, tão desconectado as emoções do momento rs)

sábado, 29 de novembro de 2008

A falsa calmaria






Chovia muito naquela fria noite cinzenta.


A chuva que lavava o céu lavava também suas crenças _ e não crenças.
Tudo parecia tão insano... tão irreal...


Como o abstrato se tornava não concreto frente a seus sentimentos, mesmo sendo ainda impalpável?
Sentimentos? Como poderia nascer sentimentos em circunstancias tão improváveis?
A chuva não cessava, os minutos corriam, voavam...
Os primeiros raios de sol lutavam contra nuvens carregadas e frias, assim como uma “pontinha” de sentimento – uma mistura de carinho afeto e paixão - lutava contra o cinza do receio, da descrença e do medo.
A noite passou, acabou... a chuva diminuiu, mas o sol ainda não “firmou”.


E pelo rítimo de tudo.... a tempestade voltará!

domingo, 16 de novembro de 2008

O que me parece lindo...

Sempre fui fã do que é belo. E fico feliz em saber que beleza é relativo, e com certeza vai muito além dos modismos estéticos ditos pela sociedade lá fora.
Mais feliz ainda, fico em ouvir dos adeptos a esse tipo previsível de beleza, que eu tenho um gosto estranho....
Pode até ser, mas acho realmente lindo ( e triste) todo o mistério que envolve a morte.
Aliás, a tristeza de tão dolorida chega a ser bonita... rende frutos bonitos, acho eu.
Acho lindo uma noiva grávida. Veja bem, não estou discutindo se é bom ou ruim... estou dizendo que pra mim, é lindo. Enquanto muitos crucificam e julgam a moça, eu acho lindo uma gestação envolta de um símbolo de pureza, que é o vestido de noiva....
Mas enfim, dias destes estava admirando minha chefe enquanto ela concedia entrevista a algumas "normalistas" da cidade.
Eu simplesmente estava babando por ela. Descrevo a cena:
Já uma senhora, ela trajava um vestido de linho impecavelmente branco com um lenço de seda colorida no pescoço. Nada de jóias ( coisa que ela poderia tranquilamente ostentar), nada de vestidos de grifes famosas.
Cabelo preso, um pouco ( o mínimo na verdade) de maquiagem e pronto... estava linda!
Minha chefe aliás, tem na voz, no jeito,e na postura traços de uma mulher fina, porém forte, longe das futilidades de "seu mundo".
E lá estava ela: uma importante mulher da sociedade riobonitense despreocupada em ostentar seu poder através da valorização capitalista, mergulhada na história da cidade com um grupo de normalistas de uma escola pública.
Não é lindo?
Para mim, é!!!

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

No ônibus...


Acho que minhas curtas viagens de ônibus são muito produtivas...

Sempre me vem a mente histórias e mais histórias da minha alma, como num divã...

Desta vez, voltava pra casa em um silêncio tranquilo, num calor absurdo e com pensamentos aleatórios dançando em mim, quando me fixei em apenas um: eu sempre fujo, evito e desdenho do que eu amarei mais tarde, ou até do que eu já amo, numa tentativa inconsciente de me proteger.

Descobri isso enquanto lembrava de minha infância-adolescência, na época em que eu amava uma música romântica e saía aos quatro cantos do mundo dizendo que a odiava. Fui pega por um namoradinho, que viu a letra copiada no meu caderno.... nem lembro se dei alguma explicação na época...

Logo depois vieram as primeiras paixões.... onde TODAS, simplesmente TODAS eram rodeadas de desentendimentos, implicâncias e afins.

Agora já na fase adulta, conheci meu melhor amigo assim... brigando com ele, numa comunidade do orkut.... soa até engraçado falar assim, mas foi.

Ainda não sei quando tudo começa, surge em mim uma antipatia tão natural que fica difícil diagnosticar casos de amor por trás dela. Foi aí que, dentro do ônibus pensei.... bem que minha antipatia, meu horror, meu pânico de matemática podia ser uma paixão recolhida né?

Ia ser tudo tão mais fácil....

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Um brinde.... mais um deles!


Tanto já se passou...
Tantas noites intermináveis, tantos sonhos desmoronados, tantas perguntas ecoando no ar... mas eu sobrevivi. Sobrevivi à humilhação, sobrevivi às notícias, às hipóteses ao medo. Sobrevivi ao final. Sim, eu sobrevivi.
Tanto já se passou... tantas datas importantes, tantas conquistas...tanta ausência.
Hoje sou eu, no conceito mais profundo do verbo ser.
E embora me falte as palavras exatas para descrever esse momento, deixo-lhe apenas um convite... Um convite ao velho brinde, já tradicional aqui no blog...
Brindemos meu caro.... Porque, querendo ou não, esse brinde será eterno...
Um brinde eterno ao sepultamento de anos de convivência, um brinde eterno ao sepultamento de milhares de sonhos e de planos, um brinde à aquele que você foi, um brinde à aquilo que eu me transformei....
Um brinde eterno ao luto de nosso amor.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Na espera...


Ando sem inspiração....
Dia destes conversava sobre isso com meu melhor amigo: sinto falta de estar apaixonada.
Jurei que não me apaixonaria mais, que não me entregaria mais e todas estas juras que agente faz quando está magoada... juras em vão, pelo menos no meu caso.
Preciso de amor. Preciso de paixão, de afeto, de carinho e da complexa relação homem - mulher.
Odeio serviços domésticos, mas sinto falta de cozinhar pro parceiro. De perfumar a casa, as roupas de cama, a pele. Talvez seja um ranso cultural, ou talvez seja eu, uma romântica moderna, sei lá...
Enfim... o fato é que, assim como na letra de Ana Carolina " Eu sou feita pro amor da cabeça aos pés" e é em dias chuvosos como este que mais percebo isto...
E que me venha as paixões, os sonhos, as palpitações.... Que venha a ansiedade, os sorrisos, os planos..... E de quebra, que venha logo o tal do amor!

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Bullying ... até quando?




Estou em luto. Luto pelo sonho interrompido, pela vida interrompida no lugar que deveria dar chances dessa vida resplandecer: a escola.

Passei pelo período de graduação inteiro falando de bullying, conceituando e tentando convencer aos demais o quanto perigoso essa prática comum ( não natural, não apenas uma fase) pode ser. Apresentei a monografia, fui parar em um fórum de educação para discutir a questão.... e hoje, enlutada mais do que nunca, vejo que na cidade vizinha, bem ao meu lado, o bullying leva a vida de um adolescente.

Aqui no Brasil o bullying ainda é pouco discutido, pouco compreendido e pouco levado a sério. estudos apontam que, estamos em média, com 14 anos de atraso em relações a práticas anti-bullying. Mas, o que é bullying?

Nos meus estudos, conceituei essa prática horrenda como a mais cruel forma de tortura velada que uma pessoa pode sofrer, pelo simples fato de não ser perfeito. Lógico que, à fundo, o bullying é muito mais. É preconceito, exclusão, violência, invasão. Começa sob forma de "apelidinhos carinhosos" e brincadeira de criança. De repente, vira furto, ameaças, fofocas,escárnio, chutes, tapas e socos. Vira suícidio, e mesmo que alguns não concordem, vira assassinato... seja do corpo, seja da alma.

Estudei alguns casos para monografia, e vi o sofrimento de uma aluna acima do peso, vi nos seus olhos o quanto ser ela mesma lhe custava. O mesmo que acontecia com um menino com problemas de dicção, outro com dificuldades de aprendizagem, e por aí vai... A escola. lugar que deveria favorecer a aprendizagem e a cidadania, acaba por ser um local de exclusão e sofrimento, um local onde ser diferente e fugir dos padrões pré-estabelecidos por um grupo é crime e merece punição.

Ainda não acredito que, com tanta violência, as escolas ainda não enxerguem o bullying como violência e ainda não faça nada para impedir suas manifestações. É incrível ouvir de alguns profissionais, que isso é só uma fase e que não existe motivo para preocupações.

Muitas crianças pagam um preço alto: perdem a auto-estima, a vontade de aprender, a alegria de ter amigos. O Samuel pagou ainda mais caro. Por um corte de cabelo, perdeu a vida. Seus companheiros de classe o ameaçaram, e os que não ameaçaram tiveram medo de falar algo e se tornar a próxima vítima.

Durante a preparação da monografia, tive meus momentos de indagações... se tudo isso não era exagero meu, se tudo isso tinha mesmo tamanha dimensão. Hoje, sinto muito por ter mais alguém a quem dedicar a monografia. Sinto muito em te dar adeus Samuel.

domingo, 31 de agosto de 2008

Fim?


O que dizer do fim?

Ainda não me acostumei a ele, e acho que nunca irei me acostumar. O fato é que simplesmente não sei dar fim. Não sei e reluto muito em aprender.

Hoje acordei com vontade de "limpar" o visual do meu quarto, pois tem muita coisa aqui que já não faz mais parte da minha vida. Finda o dia, e aqui estou... com todas essas coisas, no mesmo lugar. Nada foi sequer movido de lugar.

Abro meu guarda-roupa e vejo nele várias peças que nunca mais usarei, mas que continuam ali, por guardarem uma história, uma lembrança, eu acho. Abro o meu msn - pasmem!- e vejo ali, vários contatos bloqueados, outros esquecidos, que eu simplesmente não trocarei palavra alguma, mas não tem a coragem de removê-los dali.

Mas porque?

Simplesmente odeio o fim. Odeio substituição, odeio guardar na lembrança e perder o tato, o toque...

Já li livros sobre, de auto-ajuda a "feng shuy" e concordo plenamente que o lugar dessas coisas não é mais onde elas estão... mas me dói tanto. Não sei bem se é pelo fato de experiências ruins acumuladas com finais de situações, se é pelo aperto no peito, se é pela sensação de adeus... Só sei que não consigo. Não ainda. Talvez por isso as pessoas finalizam tudo tão drasticamente pra mim.... É... Talvez....


___________________________________________



SelinhoooooooooooooooooooooS!!!


Estou atrasada com a distribuição de dois selinhos que eu ganehi e devo repassar... Um da Teka e outro da Elcia...


Mas vamos lá...

Nem sei se é certo fazer o que vou fazer agora, mas vou fazer assim mesmo... Era pra indicar 7 blogs para esse selinho, mas como vai ser muito difícil fazer isso, porque além de não saber finalizar, também odeio escolher um entre tantos, estarei indicando apenas 3 blogs, que eu curto muito e que acho que não cheguei a dar o selinho ainda ( acho)...

Os que receberem, faça o mesmo... indiquem pra quantos quizerem... rss


Bom, lá vai...


Ivan, do Momentos Nossos ( http://momentosnossos.zip.net/)


O Blog Poetisa tu também, que é compartilhado (http://poetisatu.blogspot.com/)


E pro Blog Memórias de um Lord, do Mau Camus (http://maucamus.blogspot.com/)


Agora o segundo selinho, que eu mando para o Luis F, do mar de sonhos (http://maucamus.blogspot.com/)



domingo, 24 de agosto de 2008

A chegada!

Não consigo explicar a sensação da chegada. Eu cheguei.

Fiz o caminho, percebi a ausência de alguns que caminharam comigo no colo por algumas vezes, mas não senti a necessidade de vê-las ali. Apenas percebi o lugar estava ali, e que outros não substituiriam, simplesmente por ser impossível substituir sentimentos e vivências, já que estes, são únicos e imortais na memória.

Mas eu cheguei. E depois de chegar, pude observar a emoção dos que estiveram a vida toda comigo, e o orgulho de outros que, inexplicavelmente, fazem parte da minha vida, mesmo quando o contato físico é mínimo.

Impossível descrever o olhar em meio a multidão, que mesmo silencioso gritava congratulações e exalava companheirismo.

Totalmente inexplicável as lágrimas de outros que guardavam tanto de mim, da minha história.

Inexplicável a sensação da chegada. A vontade da dança, do brinde do sorriso que estampava meu rosto.

Inacreditável que a chegada aconteceu. Mas aconteceu. E eu estou feliz demais para relembrar os obstáculos da caminhada e a descrença dessa chegada. Cheguei, e é isso que mais importa

________________________________________________________


Para os que me acompanham, um enorme beijo de gratidão pelos impulsos e empurrões para a continuação da jornada.

___________________________________________________________




Ganhei mais um selinho, e tenho que indicar a galerinha que vou presentear... mas depois eu faço isso... rss, hoje não dá!


terça-feira, 12 de agosto de 2008

Frutos da paixão


Depois de tanto tempo longe do meu blog querido, e do meu pc mais querido ainda, voltei... rs
E foi num desses dias distantes daqui que o teor deste texto foi nascendo e se movendo em minha mente.
Num desses dias, estava sentada na mesa da biblioteca ( já disse que trabalho em uma agora? Bom demais!) com um livro da Clarice Lispector nas mãos ( Achei um livro dela com o título que dei ao meu blog...quase tive um treco) e o olhar perdido na rua quando comecei a pensar na origem de todos meus problemas e meus sofrimentos... são todos eles frutos de minhas paixões.
Nós nos apaixonamos pela luz, e sofremos ao ficar preso na escuridão. Nos apaixonamos pela liberdade, e sofremos diante das inúmeras ditaduras que nos cerca, veladas ou não. Apaixonamos-nos pelo saber e entristecemo-nos frente a ignorância de tantos. Nutrimos paixão pelos nossos sonhos e desapontamos com a constatação da ilusão. Nos apaixonamos pela euforia dos momentos felizes, e sofremos tanto quando os momentos são de busca pela felicidade.
Nos apaixonamos por possíveis hipóteses, e perdemos o chão com a revelação da realidade... Nos apaixonamos pela agradabilidade da presença e choramos com a saudade e a ausência...
Nosso coração vibra de paixão com o sorriso da chegada e sofre em dores com o momento da partida.
O segredo de tudo, seria então não se apaixonar! Nunca! Sem paixão não teríamos mais lágrimas, nem desilusões, nem tristezas...
Sem paixão, não haveria sofrimento.
Não levou mais de um minuto para que eu percebesse que, assim como o sofrimento, é a paixão que traz a alegria, a esperança, os sonhos e muito menos os mais puros- mesmo que fragmentados- momentos de felicidade. A conclusão então é simples... A paixão é a semente que germina a vida, trazendo frutos doces e amargos. Só sentiremos o sabor desses frutos, e saberemos se eles valeram a pena se o provarmos.

E eu??? Eu continuo disposta a provar...

sábado, 9 de agosto de 2008

To na casa da vizinha pq to sem pc...
triste, mto triste...
Assim que der, eu volto...
Bjinhoos a quem passar...E até!

sábado, 26 de julho de 2008

Roteiro do fim...

Meu post de hoje veio em minha mente na tarde de ontem, num insigth dentro de um ônibus. Do nada, reparei que sempre seguimos um pré-roteiro de fim, um roteirinho que ajuda a dizer adeus.

Primeiro, a frase que antecede os momentos tensos: "Preciso falar com você." Desde nova odiava essa frase, porque sabia que depois dela, receberia uma bronca da mãe, uma amiga ficaria "de mal" ou a professora reclamaria de algo. Mal sabia eu que, após a infância, ela se tornaria cada vez pior..


Passado a primeira frase, pode-se ouvir " Você é uma pessoa muito especial" e blá blá blá... o que de nada adianta, por que a essa altura, a pessoa que ouve não se acha nada especial e sabe muito bem que a situação não é nada boa...


Em seguida, fica-se sabendo que " O problema não é você, sou eu", o que pode ser subentendido como: " o problema é com você sim, que não se encaixa mais nos meus planos". falado isso, mais uma vez aparece um monte de blá blá blá para introduzir a o tal "dar um tempo na história".


Mais blá blá blá e a conversa segue, assim como pré -estabelece o roteiro: isso dói muito mais em mim, que em você" e fim. Em casos mais extremos, pode até ter choro por parte locutor (o que só piora a situação, anotem aí, além de dar esperanças, faz quem ouve se sentir mal, sei lá por que)


Dito isso... Fim!


__________________________________


Ahh, entrega de selinhos... ^^ O ritual é o mesmo de sempre... repassar o selo para 3 blogs merecedores! Olha o selo e as indicações aí...







http://deferiasnesteplaneta.blogspot.com/

http://marinamelow.blogspot.com/

http://saobanza.blogspot.com/



E bjinhus a todos!




sábado, 19 de julho de 2008

Hakani: o direito pela vida!!!


Talvez este seja um post longo, até mesmo um pouco corrido, mas gostaria que o lessem de verdade, quero muito saber a opinião de vocês...

Estou perplexa. Acho que a palavras é esta. Também estou confusa, e como tenho certeza que este meu post vai ser um tanto quanto polêmico, já estou gostando da idéia. Vamos debater! rss

Estava assistindo a um documentário essa semana e fiquei assim, perplexa e confusa. O assunto? rituais indígenas.

Ok, eu sei que são culturas diferentes, e que o "homem branco" já mexeu demais com a cultura indígena e essas coisas todas, mas o que eu vi me assustou, mexeu comigo e me fez repensar nesse distanciamento que mantemos. Bem, vamos ao que interessa...

O documentário falava do infantícidio - termo usado para se referir ao assassinato de crianças indesejadas- praticado nas tribos indígenas de nosso país. Crianças nascidas com alguma deficiência, física ou mental, filhas de mãe solteiras ou frutos de incesto são sacrificadas para o "bem" da tribo, pois todas estas são "crianças sem alma".

O problema vai além, caso haja uma epidemia, ou algo parecido com os pequenos curumins, são todos sacrificados, pois tal epidemia é um sinal se uma "safra" de crianças sem alma. O sacrifício consiste em enterrar estas crianças vivas!

Assisti com meus olhinhos arregalados o enterro de duas crianças, vi a terra cobrinco seus corpos, ouvi o choro vindo debaixo da terra. Acho que nunca mais vou esquecer destas cenas. Como nunca mais vou esquecer também ta coragem da mãe que deixou a tribo para continuar com seu filho com paralisia cerebral em seus braços. E como nunca, jamais vou apagar da memória a coragem e a expressão de afeto de um jovem curumim que desenterrou com as mãos sua irmã que chorava muito em baixo da terra, enfrentando não só a tribo, mas a repulsa e o ódio dos índios mais velhos, já que aquela menina sem alma trazia espíritos malíguinos com ela, capazes de criarem uma forte tempestade.

Pelo que eu entendi, existe em Brasília um projeto de lei (Lei Mawaji) que tenta acabar com o infantícidio nessas tribos. Como não poderia deixar de ser, há uma grande polêmica em torno da lei no sentido desta ser ou não uma invasão e uma proibição da expressão cultural destas tribos. Aliás, segundo o deputado Francisco Praciano " a declaração dos direitos humanos não valem para índio." Pra mim, vale. Antes de índios, eles são humanos... ou não?
Ok... pode até ser uma invasão, mas eu acredito que acima de qualquer cultura, de qualquer lei na FUNAB, FUNAI ou sei lá o órgão, existe uma lei maior... a lei da vida. Independente da raça e etnia que essas crianças pertencem, elas não podem perder a vida só por apresentarem alguma deficiência, ou por qualquer outro motivo idiota que seja. Ao meu ver, preservar a existência dos índios brasileiros, implica diretamente em preservar a visa dos jovens curumins, para que estes levem adiante as tradições que valem a pena continuarem a existir.

Isso é o que eu acho, mas... não sei se estou certa de que acho o melhor, o mais correto. E também se não for, dane-se, por que até agora ninguém conseguiu mudar minha opinião, rss...

Bom, gostaria da opinião de vocês... é um assunto delicado e complicado, e seria muito legal debater sobre.

Ahhhhhhhhhh.... visitem o site... http://www.hakani.com.br/pt/default.asp lá tem o documentário e toda a história melhor explicada. ^^

Ps: Não ando querendo escrever poeminahs ou tentativas de poeminhas... deve ser uma fase, sei lá... rs

sábado, 12 de julho de 2008

Desabafo da pequena falante...


Entendo perfeitamente o velho ditado que diz" o peixe morre pela boca".

As vezes queria engolir as frases que vão saindo de minha boca, sem nem ao menos serem pensadas. Em amizades, eu penso, calculo, avalio a melhor forma de dizer as coisas, mas em se tratando de amor e afins, alheios ou meus... eu falo.

Quem vê até pensa que eu sou uma especialista, uma analista de relações amorosas muito experiente. ..até parece.

Bem, sei que esse post nada tem a ver com meu blog, mas estou atordoada com isso. Por que as pessoas acham de perguntar logo pra mim, que saio falando sem parar quando sou solicitada? O que me conforma, é que as vezes penso esse ser o motivo: a sinceridade. Sinceridade desmedida, muitas vezes.

Agora, aqui estou eu... chateada por ter uma vez falado ao meu melhor amigo que eu não levava fé no namoro dele. Falei, e ele dias destes me deu razão... e eu desmoronei. Poderia ter ficado quieta, e talvez a tristeza do término fosse menor, ou nem existisse quem sabe... Mais chateada ainda por lembrar que minha boca respondeu por mim coisas de ex para o atual (atual mais ou menos também... algo entre amigo e namorado... algo sem definição). Siiim, minha boca (não eu) respondeu ao atual o medo que tenho de encontrar o ex. Legal... sinceridade desmedida, que além de chatear o atual indefinido, chateia a mim mesma por lembrar que tenho medos e ex... e por lembrar que as vezes, eu falo demais!

sábado, 5 de julho de 2008

Sr do Bonfim


Uma fitinha de pano...

Letrinhas formando nome...

Pedidos, desejos e emoções depositados nela.

Coincidência ou não, um pedido já foi realizado...

Coincidencia ou não,

um outro pedido parece se materializar na minha frente,

ficando cada vez mais próximo do esperado, do desejado.

Tenho fé...

Tenho alma, tenho sentimentos ali...

Talvez por isso tudo se move...

Ou talvez não.

Talvez seja apenas meu Sr do Bonfim, me abençoando

e me conquistando como devota.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Importâncias e relevâncias...


Chovia lá fora...

Uma chuva tão doce que açucarava as tardes

dando-lhes sabor de romance.

Um romance sem forma, sem nome

Apenas romance notavél em cada olhar.

Dias destes, um coração foi marcado no vidro embaçado

Em meio a músicas, risadas e carinho

ele parecia pulsar de tanta vida.

Os dias passaram e o coração continuou lá...

como testemunha viva de dias felizes.

As certezas já não importavam mais...

Assim como, já não era relevante os títulos, os papéis...

Já não importavam mais o dito normal,

o que era imposto e esperado...

Nada de futuro importava mais...

Assim como não importa como esse texto pode acabar...

terça-feira, 10 de junho de 2008

De repente...


De repente, não mais que de repente os caminhos se cruzam

e em poucos segundos a vida fica cíclica

e nós voltamos pro que se perdeu no tempo...

De repente, não mais que de repente

os sorrisos voltam a encantar, as histórias voltam a ser contadas

o colo volta a ser acolhedor de verdade.

De repente, o pensamento voa

as horas são contadas, o encontro fica mais esperado.

De repente, não mais que de repente

eu descubro que não sei falar de alegrias

não sei escrever de felicidade...

E de repente, não mais que de repente meu bem...

eu compreendo que ainda tenho muita coisa pra aprender,

principalmente aprender a viver essa emoção tão gostosa que me faz rir...

E que surgiu assim...

Tão de repente...



PS: Agradecendo aos votos de boa sorte na minha apresentação no fórun... hehehe

Acho que me saí bem!!!

:)

quarta-feira, 4 de junho de 2008

Ansiedade, nervoso e indecisão... ai ai.. rsrsr


Ando sem tempo pra escrever e encontrar comigo mesma... nem sei o quanto isso é ruim, porque nem sempre esses encontros com meu eu é produtivo.

Bem, estou um pouco nervosa nos últimos dias, vou apresentar monografia duas vezes... uma pra bancada normal e outra num fórum que reúne os melhores tcc do ano( to chique, viu?).

Estou a beira de um ataque, só de imaginar me dá um frio na barriga... ai ai...

Também, estou nervosa com os meus desencontros e encontros amorosos... rsrss. Isso de se envolver com amigo é complicado, pensei que fosse mais simples. E mais complicado ainda é ter que escolher se a relação continua na amizade ou não... mais complicado ainda é decidir se continuo com um pé atrás, me resguardando, ou se exorcizo todos os fantasmas passados e mergulho de cabeça numa nova paixão... Numa paixão que me deu lindas asas como costumo dizer... rs

Odeio essa isntabilidade que me encontro e essa indecisão que me rouba minutos valiosos do meu dia, da minha noite.



Bom... é só. Quem passar por aqui torça pra que eu me saia bem no forum tá?

Para que eu use o microfone (ai que vergoooonha) direitinho lá na frente e represente bem o curso de pedagogia!


Bjinhusss, MáH... Marcele Millen.

domingo, 1 de junho de 2008

Tudo Bem...





Composição: Lulu Santos / Nelson Motta



Já não tenho dedos pra contar


De quantos barrancos despenquei


E quantas pedras me atiraram


Ou quantas atirei


Tanta farpa tanta mentira


Tanta falta do que dizer


Nem sempre é "so easy" se viver


Hoje eu não consigo mais me lembrar


De quantas janelas me atirei


E quanto rastro de incompreensão


Eu já deixei


Tantos bons quanto maus motivos


Tantas vezes desilusão


E quaseQuase nunca a vida é um balão


Mas o teu amor me cura


De uma loucura qualquer


É encostar no seu peito


E se isso for algum defeito


Por mim tudo bem


tudo bem


Já não tenho dedos pra contar


De quantas janelas me atirei


E quanto rastro de incompreensão


Eu já deixei


Tantos bons quanto maus motivos


Tantas vezes desilusão


E quase


Quase nunca a vida é um balão


Mas o teu amor me cura


De uma loucura qualquer


É encostar no seu peito


E se isso for algum defeito


Por mim tudo bem


Tudo bem, tudo bem




Por enuqnato... por mim ,ainda ta tudo bem...


NA torcida para que tudo se ajeite logo....

domingo, 18 de maio de 2008

Antes da morte


Recebi esse desafio e acho que ele veio mesmo a calhar. Fiz aniversário a poucos dias e esse balanço chegou na hora exata.

Bem, antes disso, é necessário dizer que não sou fã de fazer aniversário, assim como não gosto de natal. Fico triste, sei lá...

Também é necessário dizer que to me sentido arrasada, sozinha, excluída... então não prometo um post gostoso de ler... mas prometo um post sincero, cru, real.

Voltemos ao meme... listar 8 coisas que gostaria de fazer antes de morrer. Não disse que esse post tinha tudo de mim? rs

Ok, vamos lá

[...]

Ai... não consigo.

Não quero nada, não espero nada, não sonho nada.

Aliás... quero sim... antes de morrer quero tomar um porre de vinho para comemorar minha cura. Pronto... curada e bêbada, quer melhor?

Só...

E que verdade seja dita, egoísmo ou não, loucura ou não, morre não é tão mal assim quando não se tem mais vida.


Até

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Intuição de aniversário.


Sou uma pessoa intuitiva, eu sei. Mas não reconheço uma intuição... sempre penso que "é coisa da minha cabeça" ou que estou com pressentimento bom. Nada. Sou intuitiva e só vejo o quanto o sou quando as coisas acontecem, quando não há mais tempo para o preparo do espírito.

Mesmo prestes a completar 22 anos de intuições, esse número não foi o bastante pra me fazer acreditar em mim no lugar de dar ouvidos a opiniões alheias. Talvez eu tenha o dom de diminuir o impacto da queda, mas mesmo assim ainda escolho a cair com tudo, com corpo, alma e coração. Sempre soube que ainda não sei mergulhar, mas insisto em fazê-lo e pra me afogar minutos mais tarde...

E mesmo com cada comprovação da nebulosidade pressentida ainda me vejo em situações rosadas e romaceadas que só perdem o visso depois de alcançar um ponto que não se permite mais voltar. E eu caio. Mergulho e me afogo. Respiro e me sufoco.

Que o 14 de maio que se aproxima não me traga apenas mais um número...Quero maturidade e sabedoria para lidar com tais intuições...Quero vida, encontro. E de quebra, quem sabe algum vestígio dessa impalpavél e tão procurada felicidade.


segunda-feira, 5 de maio de 2008

Hipóteses

Não sei bem o que acontece... existem inúmeras hipóteses que explicariam minha realidade...
As vezes vejo-me envolta por uma cápsula protetora que além de me distanciar de problemas, me distancia de possíveis soluções... Uma cápsula que segura a minha fala na hora que preciso falar, que segura minhas pernas na hora que eu preciso caminhar...
As vezes acho que tenho sexto sentido e prevejo de longe um futuro sofrimento.... mas vez ou outra acho que o tal sexto sentido era apenas medo.
Existe também a oscilação de visão que meus olhos me proporcionam... onde eu vejo beleza e pureza segundos depois vejo tempo perdido, sentimentos jogados fora.
Existe o descontrole auditivo que me faz ouvir as mesmas frases de modos tão diferentes...
O que acontece afinal?
Caso ou romance? Pele ou alma? Vermelho ou rosa? Sinos ou gemidos?
Perguntas que me invadem, me enlouquecem
Perguntas essas que eu jamais terei coragem pra fazer...

Ps: Quando eu souber exatamente o que acontece, ou pelo menos acreditar mais numa dessas hipóteses eu conto de domingo... rs



quarta-feira, 30 de abril de 2008

Irritada, eu?


Ando sumida do blog... época de monografia é assim, pelo menos é o que me dizem...rs

Bem, embora tenho muito o que dizer não o farei. Sei que se começar a falar, vou me empolgar, vou fantasiar e depois se nada for parecido com o que eu imaginei eu vou sofrer. Tem dias que eu preciso de certezas, de coisas concretas... estou num desses dias hoje.

Então hoje vou responder um memê que minha amiga me mandou... não vou repassar pra ninguém... até porque nem todo mundo gosta de realiza-los, então... lá vai. É um memê bem simples, eu diria...


A questão é " Diga 5 coisas que te irrita"

Fácil, fácil... minha mãee diz que eu vivo irritada e de cara "amarrada"... não acho que seja assim, só acho que guardo meus sorrisos para momentos em que eu não consiga esconde-los. Dentre as coisas que mais me irritam ultimamente, destaco:

1- Ficar sem internet... Odeio ficar sem internet. Perco o contato com meu mundo, com meus companheiros, comigo mesma. Acho até que criei um vínculo anormal com o computador, sei lá... é só ficar sem internet que pronto, acaba-se meu dia.

2- Me irrito muito com preconceito. Não acho graça em piadinhas pejorativas, quanto mais em comentários maldosos e preconceituosos sobre quem não faz parte do padrão escolhido por uma minoria para ser o ideal. Tenho vontade de pular em cima, como uma leoa faz.

3--Falta de educação e de respeito com os outros... E não digo isso só em casos extremos de bate boca não... detesto quem chega na aula atrasado e para a aula pra contar uma história longa- e inventada-sobre o que aconteceu.

4- Nunca, jamais me deixe esperando. Se for se atrasar avise, ou vai me encontrar com um mau humor terrível e com poucas palavras monossílabas para conversas.

5- Nunca minta pra mim se não pode sustentar essa mentira por muito tempo.



Vou ficando por aqui, pelo menos por enquanto. Mas tenho certeza absoluta, certeza vinda do 6º sentido que domingo eu estarei aqui. Algo me diz que vou ter muito, muito o que escrever. Então... é torcer pra ter só coisas boas!


terça-feira, 22 de abril de 2008

(Re) Estréia


Sinto-me em dia de estréia.
Eu, logo eu que pensava estar calejada em coisas do coração. Eu, logo eu, me vê via incapaz de amar - ou gostar- novamente, tendo a mais absoluta certeza do sofrimento eterno, idêntico aos das novelas mexicanas.
Pois bem... aqui estou, em dia de estréia.
Estréio – ou reestréio talvez – hoje meu melhor sorriso. Estréio hoje meu melhor beijo, meu melhor chamego. Estou confusa confesso e não tenho a mínima idéia de como prosseguir.
Estréio eufórica, nervosa, ansiosa. Crio um milhão de borboletas que voam da barriga ao peito. Borboletas essas que há muito dormiam e eu as julgava mortas.
Há tempos meu mundo havia caído e eu havia perdido aquele que era minhas pernas. Tola que fui, pois na mesma semana alguém tentava me mostrar que as tais pernas eram desnecessárias já que eu podia criar minhas asas. E de pena em pena essas asas cresceram em mim.
Agora é hora de estréiá-las. Confesso ter medo da queda, confesso as vezes sentir falta do chão. Mas um “anjo” me mostrou minhas asas...e me mostrou que elas eram minhas, não dele.
E é com essas asas que estréio, sabendo que estou suscetível a queda. É com essas asas que estréio rumo ao novo céu, bem mais azul ao que me parece. É com essas asas que a partir de agora eu começo a voar...




sábado, 19 de abril de 2008

Desafio II

Rssss.... estou cheia de desafios..
Bem, esse desafio foi lançado pela amiga Elcia Belluci que participa de um monte de blogs no qual eu destaco o Suave Toque(http://suavetoque.blogspot.com/). Pois bem...lá vou eu. Primeiro vou responder o desafio, depois eu lanço pros outros blogs que eu escolher...

♥Porque razão criei esse blog e qual a razão de te-lo mantido até agora?

Sinceramente nem eu sei bem o porquê... rss
Sempre tive agendas e diários, mas andei afastada do meu mundinho escrito. Daí pensei em fazer um blog bem disfarçado para que ninguém descobrisse quem eu era e lançar minhas palavras por aí, pois, sem alarde ele nem seria notado.
O tempo passou e eu fui me desnudando, me revelando... algumas pessoas me descobriram virtualmente e eu fui ficando.
Hoje mantenho-0 como terapia. E até como amigo, já que ele me acompanha a mais de um ano acho. E também o mantenho pela simples razão de não conseguir deletá-lo. Sabe aquelas pessoas que não conseguem se desfazer na roupa preferida, das agendas antigas e até do frasco de perfume que já está vazio...pois bem, sou eu. Sou avessa a mudanças fazer o quê... o negócio é me tratar... até lá fico guardando minhas coisinhas e ponto final.
O bom é que conheci muita gente parecida comigo, muita gente experiente, muita gente inexperiente... enfim... fiz contatos maravilhosos. E isso me deixa feliz!

♥O que procuro no blog do minha amiga Suave Toque que me deixou esta batata quente nas mãos?

A Elcia parece comigo. Escreve o que sente sem se importar com regras e formatações.
Adoro ler seus textos porque além de reais agente percebe o sentimento nele presente.
E claro...venho aqui porque amo poesia!
Também encontrei na Elcia uma pessoa maravilhosa e carinhosa que sempre me trata bem e não se esquece de mim, rss... está sempre presente com suas borboletas.
Como vocês já devem ter reparado falo mais da pessoa do que do blog né? Mas é por que sinto isso... sinto a presença da Elcia junto com as borboletas e palavras do blog. Não dá pra separar. Lá é tudo verdadeiro. E eu gosto!

Agora é a hora de desafiar alguns companheiros de escrita...
Mas antes vamos as regras...

♥As que regem todos os outros desafios, seguindo a regra de bem viver na blogoesfera;Responder ao desafio e passá-lo a outros bloguistas num número entre 7 e 9, dizendo porque os seguem;Enviar selo do desafio; (não faço a mínima ideia de que selo se trata), por isso também não o vou passar)Matar a curiosidade e dizerem o que procuram no blog que vos passou o desafio.
Meus escolhidos são....

http://lizfalandodetudo.blogspot.com/
http://biiahsiita.blogspot.com/
http://henriquem.blogspot.com/
http://momentosnossos.zip.net/
http://bananaacida.blogspot.com/
http://vivercomsimplicidade.blogspot.com/
http://fernananda55.blogspot.com/

Espero que realizem o desafio...
Bjinhusss a todos e até!

domingo, 13 de abril de 2008

Oba, Oba!!!! Desafios e presentinhos...


Oba, oba.... tava meio sem inspiração pra postar aqui, sem saber do que falar... até que dois anjinhos iluminaram o meu caminho! rsss
Primeiro, vou começar pelo desafio que recebi!
E que ao final vou deixar para alguns amigos tambén..hehe
Vamos lá... Desafio do Mário... Responder coisas sobre mim....

♥Eu: menina, mulher, calada, falante... sou mil Marceles em uma só. Mil Marceles aprendendo a viver...
♥Qualidade: companherismo;
♥Defeito: Sou teimosa e ingênua;
♥Gostas: De escrever, de poemas e de MPB.
♥Destestas: Mentira, traição, indiferença;
♥Não passas sem: Paixão;
♥Pessoas: Interessantes. Todas são, basta observa-las bem;
♥Família: Ainda vou construir uma.
♥Homem: Naõ entendo sua linguagem e as vezes me irrito com sua praticidade;
♥Mulher: sensível demais, as vezes;
♥Sorriso: Vale mais que palavras;
♥Perfume: Humor da Natura... aff... tantas lembranças boas...
♥Carro: Não me ligo muito em carros... me levando pra onde eu quero estar, tá valendo;
♥Paixão: Não vivo sem uma;
♥Sexo: Quando um completa o outro, em todos os sentidos;
♥Amor:Grande demais pra ser alicerçado em mentiras, orgulho.
♥Olhos: Reveladores quando olhamos fundo neles.
♥Sol: Pra quem está feliz.
♥Chuva: Dependendo do momento pode ser romantica, solitária... pode ser choro do céu.
♥Mar: Lindooooo demais!!!
♥Livro: Exelente companhia;
♥Filme: Gosto... de alguns. rs "Escritores da Liberdade" foi o último que assisti com tanto prazer!
♥Música: Brasileira... MPB nova geração então, eu amooo
♥Dinheiro: Querendo ou não, ninguém vive sem ele... no máximo sobrevive;
♥Animal: Amo muitooo, cachorro, gato... amo de paixão! Todos!Sinceridade:
♥Silêncio: Conversa com a alma;
♥Solidão: Necessária as vezes;
♥Flor: sou louca pra ganhar...
♥Sinceridade: Linda. as vezes dolorida, mas linda!
♥Sonhos: Não tenho mais... ainda.
♥Cidade: Mangaratiba (Muriqui).Um divisor de águas...
♥País: O meu! Brasil.
♥ Não vivo sem: Paixão
♥Nunca deixes de: ...viver? rss

Agora repasso o desafio.... rsss
Repassando pra 3 blogs que talvez teha nesse exercício um momento de contato maior consigo mesmo. Pessoas que mesmo distante eu aprendi a adimirar...
Lá vai...

Ok... agora é a vez da anjinha Teka...
Olha o presente lindo que eu ganhei:


Esse é o da Teka... Amei migaaa....rss
Agora é o seguinte:
Seguindo o ritual vou repassálo.. rsrss
Indico 6 blogs abaixo e espero que vocês passem por lá... acho que vocês irão adorar!
Lá vai:

http://gaivota-mareterra.blogspot.com/

http://ave-struz.blogspot.com/

http://adri-elly.blogspot.com/

http://supernadamesmo.blogspot.com/

http://suavetoque.blogspot.com/

http://butterflyfm.blogspot.com/




Prontinho, o selo é esse....Gente, não sei muito bem fazer essas coisas, então perdoem qualquer erro.. a intensão é a melhor de todas, acreditem!!!
Beijo giganteee e perdoem o "sumiço", pq eu to sem net em casa...
Até!

quarta-feira, 9 de abril de 2008

Sentir


Não me sinto.

Há em mim um estranho equilíbrio que me incomoda.

Não sinto no peito as emoções em ebulição

tentando se expressarem em palavras.

Não sinto na alma intensidade alguma.

Hoje sou só carne..

Entre afetos e desafetos eu resisti.

Entre abstratos e concretos,

entre hipóteses e certezas... sobrevivi.

Mas hoje não me sinto.

Nada mais triste e incomodo do que não se sentir.

O que me conforma é que meus cacos estão jogados

perdidos...

Podendo se refazer eu optei em renascer

Ainda terei a carne para sentir

ainda terei a alma, o medo

a raiva e o desejo

ainda sentirei o amor e a vida.

Mas hoje...

hoje eu ainda não me sinto.
PS: 1-Na verdade esse texto é de alguns dias atrás... e hoje sinto um enorme incomodo na alma.
Mas vai passar...
2- Agradecendo a blogueira Bruxx que teve uma paciência enorme comigo ao me ajudar a mudar o visual do blog...

terça-feira, 1 de abril de 2008

Dias antes de um dia qualquer


Quem me acompanha a algum tempo sabe o quanto eu sofri nos últimos meses e o quanto eu me recuperei. Pois bem... mas quando isso aconteceu?

Pois bem, não tenho a mínima idéia de quando e como aconteceu, mas sei que aconteceu e só.

Ontem, estava folheando meu velho e amigo caderno, no qual fico escrevendo o que vem a mente e na hora que vem afim de achar algum escrito antigo que por descuido não veio pro blog.

E achei... nem lembrava mais dele, mas aqui está. Fala exatamente desse tempo de transição e ruptura com paixões avassaladoras... rs


" Num dia qualquer ela deu adeus. Enfim um adeus tão sofrido e demorado, que muitos inclusive ela, não acreditavam que esse adeus de fato chegaria, Mas chegou.

Era noite e as boas memórias voavam da gaiola que as censuravam dando lugar àquelas outras que nada tinha de positivo para serem lembradas. Lindas memórias, pois eram tristes. Existe em toda tristeza uma beleza única, seja pela emoção, seja pela rebeldia e teimosia em existir.

Era noite e as tantas memórias-agora boas e más- dançavam como folhas de outono em ventania. Assim, sucedeu-se o adeus formal já que este tinha sido dado, já tinha se despedido em meio a códigos quase impercepitiveis.

Pouco antes ela tinha feito uma prece. Não tentou interferir no destino, apenas pediu luz para a vida daquele que um dia partiu e nunca mais foi visto. Alguns acharam que era generosidade, ela porém, sabia que era respeito pelo inegável e imutavél. Mesmo em prece, já não havia mais choro.

Dias antes, não havia comemorado sua tradição, nem a lembrou na verdade. A data parecia ter perdido o significado, ela tinha novas coisas a comemorar agora. E confessou com um sorriso maroto que não tinha lembrado de marcar data. Não sabia mais desses detalhes... sabia apenas comemorar.

Num dia qualquer o adeus chegou. Ela sabia que era a hora. Não negou que esse adeus lhe doía um pouco...não negou que ele lhe causava medo...mas constatou aquilo que pouco acreditava: o adeus já lhe era inerente e querendo ou não agora era real.

Foi então que ela teve mais fome e comeu. Teve mais necessidade de escrever e escreveu. Ouviu anunciar na TV a apresentação de uma banda que lhe era especial. Sabia que ouviria a música de sua vida, e esperou.

A música não veio. Cantou ela então, com uma voz quase calada. Sorriu. Concordou :"O pra sempre sempre acaba!" Deu o seu adeus, fechou os olhos e dormiu.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Coisas que experimentei, aprovei e que com certeza fizeram a minha vida valer muito mais a pena:
Lembrei apenas de 30 delas, mas acredito ter esquecido de muitas outras, rs


1- Assistir a um pôr-do-sol na praia;
2- Mergulhar no mar num dia de muito calor;
3- Dormir de conchinha, nem que seja por 15 minutos;
4- Comer pizza com os amigos numa noite quente de verão
5- Comer pizza com os amigos nua noite fria de inverno;
6- Ouvir música acompanhada enquanto chove do lado de fora;
7- Reler diários, ver fotos... reviver o passado por alguns instantes;
8- Chorar por amor;
9- Comer chocolate de boa qualidade sem culpa, numa tarde entediante;
10- Ler ao menos um livro. Provavelmente você vai querer ler outros depois.
11- Cultivar ao menos uma amizade à distância;
12- Ligar para esse amigo distante, em datas mais improváveis possíveis;
13- Cozinhar para si mesmo, e saborear o que cozinhou, fazendo companhia a si própria;
14- Cozinhar para amigos;
15- Cantar e ouvir a música preferida quando tudo parece mal;
16- Fazer um esforço e se dar de presente algo que queria, e estava longe de ganhar.
17- Escrever poemas, prosas... enfim, escrever o que vem a alma, ao menos uma vez por mês.
18- Curtir uma noite com dança.
19- Visitar um lugar que tenha vontade. Seja pela primeira vez ou não.
20- Se apaixonar;
21- Pegar um bebê no colo. Filhotinhos causam quase a mesma emoção.
22- Assumir alguma opinião em público, mesmo que essa seja contrária à maioria.
23- Ser confortada no colo;
24- Dizer para pessoa mais especial da sua vida o quanto ela é importante;
25- Deixar-se ser elogiada;
26- Tomar banho de chuva.
27- Passar a virada do ano com alguém especial;
28- Tomar banho quente (morno) e demorado, com sabonete com cheirinho diferente e gostoso. (Sugiro o de limão com açúcar da Natura)
29- Conhecer ao menos uma obra de Fernando Pessoa.
30- Parar e reconhecer que alguns dos minutos mais cotidianos da nossa vida são tão mágicos que a faz valer a pena
.

segunda-feira, 24 de março de 2008

Entre dúvidas, certezas, inseguranças e poesias


Confesso que ainda estou confusa, e que se não tivesse certeza absoluta que essa minha confusão misturda com insegurança estivesse bem guardada aqui, longe dos olhos de quem protagoniza a história, não estaria postando as palavras que me vieram a mente noite dessas...

Mas.... aqui estou...

Não se trata de poesia, acho... mas vou ser fidedígna a sua criação...


Um caso que chega ao fim


Numa noite qualquer um estalo veio a mente

Já somos o resto do que não chegamos a ser.

Talvez fomos...

mas tudo num único instante,

nuns poucos minutos que se perderam no tempo.

Agora resta-nos conversas opacas

sem brilho, sem paixão...

alguns beijos sem troca

algumas perguntas sem respostas.

Todo fim é anunciado,

são os olhos da alma que se negam a enxergar

Mas não os meus,

os meus alertam-me que o fim é agora.

O pior é saber que seria hipocresia pensar em retomar

o caminho deixado e trocado

a amizade tolida por nós.

A antiga amizade não pode mais ressugir

trasformou-se... evoluiu...

O que fica disso tudo é a cura

o que fica é o sorriso

o que fica é o antes ja esquecido.

Mais um caso.... tudo não passou de um caso.

Um caso não tão certo na hora mais exata que podia existir.

Um caso que chegou ao fim.

Quizera eu que fosse um caso de amor

mas esse....

foi simplimente um caso.




About Me

Minha foto
♥MáH♥
Alguém aprendendo a lidar com emoções, sentimentos...alguém aprendendo a viver.
Visualizar meu perfil completo