topbella

sábado, 28 de agosto de 2010

O meu homem ideal

 
Desde cedo, nós mulheres começamos a sonhar com o príncipe encantado, aquele que virá num cavalo branco nos levar para morar num lindo castelo. Passa-se a tenra idade, o príncipe encantado vira o homem ideal.
Passei os últimos dias a refletir sobre isso. 
Não sei se é bem o caso de " homem ideal" ou se é apenas o modo como imaginava que seria aquele com quem eu dividiria meus dias - e uso os verbos assim, no futuro do pretérito, por já não acreditar que eu o encontre, não exatamente desse modo - mas sei que esse ser povoou por muito tempo minha ideia de homem ideal.
Nos meus sonhos, esse homem seria alguém culto, já que pessoas inteligentes me envolvem rapidamente e me deixam " babando". Mais que culto, seria cultural. Aquele que freqüenta museus e teatros. Aquele que curte o Brasil.
Meu homem ideal preferiria MPB à música americana que nos chega enlatada, filme nacional às bobagens hollywoodianas . O meu homem ideal gosta de ler...
Na minha cabecinha romântica, o meu homem ideal seria aquele que me traria flores, aquele que preferiria um barzinho com música ao vivo ou um restaurante à uma boate lotadíssima, pediria pizza enquanto assistiríamos um filme.
Também gosta do mar, de viajar, de ter companhias.
O meu homem ideal seria maduro, e isso não possui relação alguma com sua idade.
O meu homem ideal me perguntaria como foi o meu dia e me ouviria, e depois me contaria como foi o seu.
O meu homem ideal não existe. 
Mas se por ventura, força do acaso ou presente dos deuses você conhecer alguém assim, passa meu endereço pra ele, vai que ele está a minha espera né?

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Sombra



  
A sombra que me acompanha é cinza.
A sombra, aquela ali ao lado, é fria, é muda.
Em todos os passos, por todos os dias é ela que está comigo.
A sombra que me acompanha não ri.
Observa e se permite ser observada com cautela e delicadeza
sob luzes externas, mas é sombra.
Sombra e sobra de mim mesma.
E em momentos como os de agora eu sinto
como se só ela me ouvisse. E talvez assim seja.
O meu grito ninguém ouve.
O meu canto não é vivo pra ninguém.
Meu riso, minha dor... o meu eu é meu.
Meu e do meu pedacinho de abstrato vital.
Meu e dela, minha sombra.
.
.
.
.
.
.
.
Selinho mega especial que o Chico ( http://blog-chico.blogspot.com/tinha me ofertado, e eu ainda não tinha postado.
Muito grata pelo selo, meu caro. De verdade!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Lembranças




Lembrei dele.  Talvez pelos dias de agosto e de seu aniversário que se aproxima ou talvez pelo tempo frio e chuvoso. Não sei bem o motivo, mas sei que lembrei dele.


Lembrei do medo que eu sentia em esquecer a sua voz e o conforto que ainda sinto em saber que não esqueci. Passeei por alguns cenários familiares que se eternizaram na memória e me indaguei sobre como ele estaria. Será que já terminou a faculdade? Como será que tem vivido... será que tem vivido?
Hoje lembrei dele. Inevitavelmente, lembrei de mim. Lembrei dos meus cabelos castanhos no ombro e da insegurança nos olhos. Olhos vermelhos que mesmo em lágrimas viram ele partir.
Lembrei da ansiedade pelo fim de um sofrimento, das forças que me pareciam tão mínimas e de como eu me achava que tudo seria eterno e de que se fosse assim, eu seria incapaz de resistir.
Algum tempo já se passou, o sentimento mudou e eu resisti. Hoje somos estranhos com um passado em comum, com uma história vivida e divida, mas uma história que já passou. 
E que mesmo assim, depois do ponto final ainda vive, bem aqui nas minhas lembranças. E por viver me fez encontrá-lo e observá-lo em tons de cinza como os de quem relembra uma cena de filme. Um filme que terminou, mas nem por isso deixou de ter existido na sala de cinema, no dvd do quarto, na memória de quem assistiu...
Talvez por isso, hoje eu tenha lembrado dele.

  

About Me

Minha foto
♥MáH♥
Alguém aprendendo a lidar com emoções, sentimentos...alguém aprendendo a viver.
Visualizar meu perfil completo