topbella

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Mudando

Nos últimos dois meses eu me peguei pensando em quem realmente eu era, em quem realmente eu sou. Refiz alguns caminhos em pensamento, e até temi ter me perdido de mim mesma.
Mas como disse Saramago uma vez, " É necessário sair da ilha para ver a ilha, não nos vemos se não nos saímos de nós". Então, saí.

E esse tempinho afastada do blog me fez bem, creio eu.

Há mais ou menos um ano, escrevi sobre minha identidade, sobre como eu tinha me "criado" ( post de título como virei MáH). E hoje sinto vontade de falar novamente sobre o assunto.

Completei 24 anos nesse mês mudando um corte de cabelo usado a mais de 3 anos, eu acho.
E foi difícil. Não conseguia me imaginar sem minhas madeixas mais longas, era como se de repente, a MáH deixasse de existir. Mas mudei. E me indago as vezes, o que mais mudou em mim, o que se perdeu e o que mais deveria mesmo se perder.

Talvez hoje eu não seja tão romântica como a Marcele que iniciou esse blog em maio de 2007. Talvez eu não seja também, tão insatisfeita com a vida, assim como eu era. Talvez os sonhos tenham mudado, tenham morrido...

Mas independente dessas sutis mudanças, a MáH, Marcele de verdade continua a mesma em essência, e isso me agrada. E acho que essa é uma hora bastante propícia para falar pra mim mesma o que eu sempre quis dizer, mas não o fazia por não ainda não ser uma verdade. Sim, eu gosto da MáH/ Marcele que sou. Com meus defeitos e qualidades. E espero que nesse novo ciclo com 24 as mudanças aconteçam sim, mas para melhor e que eu fique tão satisfeita como estou hoje.

E o novo corte de cabelo?
Ahhh, eu adorei!






Atenção você que é mulher e tem seu blog... Essa é uma comunidade no orkut que a minha amiga Teka criou justamente para nós... Passa lá ;)



domingo, 2 de maio de 2010

Meu irmão...


A prova de que o amor não conhece limites de espaço ...
Que venha o segundo, o terceiro, o quarto, o décimo... Porque eu, estarei sempre aqui.
Amo0 você meu irmão!


Meu Irmão...


Composição: Toquinho / Mutinho

Meu irmão,
Faz muito tempo faz
Que eu não te canto
Uma canção.
Que eu não te conto uma aventura,
Um sonho, uma ilusão.
Que eu não me sento calmamente
Junto com você.
O tempo passa...
Meu irmão,
Comigo os dias normalmente
Cumprem sua função
Entre sinuca, futebol,
Amor e violão.
Mas quando o tempo escurece,
Vêm os temporais,
E nem blasfêmias, crenças, preces
Não ajudam mais,
E a gente perde a paz...
Aí eu lembro de você
E essa lembrança me agiganta.
Me faz vencer a dor
E quando caio me levanta.
Me faz conter o tempo
E põe o mundo inteiro
Em minhas mãos...
Você meu grande herói,
Mais poderoso que o inimigo.
Você, constante amigo,
Meu distante companheiro.
Você, que o tempo inteiro
Não tem medo do perigo, não.


About Me

Minha foto
♥MáH♥
Alguém aprendendo a lidar com emoções, sentimentos...alguém aprendendo a viver.
Visualizar meu perfil completo