topbella

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

♫ Então é Natal...


♫ ...Então é Natal... E o que você fez? ♫
Eu amei, sorri, chorei, me decepcionei, perdoei, apaguei, escrevi, abandonei, esbravejei, gargalhei, fingi que não vi, fingi que  não sabia, fingi que entendi, conheci, me escondi, evitei, me perdi, me doei, me neguei...
Entre experiências boas e ruins, sobrevivi. E o que eu desejo de verdade é que tudo sirva para alimentar minhas esperanças de um ano ainda melhor.
Sem muito o que escrever por aqui, reflita você também sobre esse ano de 2010 e deixe-o que ele alimente suas esperanças e o impulsione de dando forças para fazer de 2011 um ano ainda melhor.  
♫ Então bom Natal e Ano novo também! ♫ rs


Beijinhos,
Marcele Millen.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O sacolejo



Dizem que as vezes precisamos de um sacolejo para acordar algumas emoções adormecidas em nós. Eu precisei.
Passei por uma cirurgia há alguns dias e embora tenha passado boa parte da curta vida de 24 anos achando que já estava pronta para morte, que encararia a situação numa boa, que não sofreria. De certo modo, eu nem valorizava tanto assim o fato de estar viva.
Até que veio a cirurgia e eu tive medo de perde-la.
Tive medo de não ver mais a minha avó, de não brigar mais com minha mãe. Tive medo de nunca mais andar na praia, de nunca conhecer as pessoas que ainda não conheço pessoalmente.
Tive medo de deixar pra trás o sabor de uma pizza com amigos, de nunca mais ouvir a voz de nenhum deles. E por mais que passasse na mente a idéia de reviver tudo isso numa outra vida - ou não- eu sabia que não seria a mesma coisa. Não, eu não estava preparada para dar adeus.  Eu não estou.
Foi um dia complicado, temido por mim. Fiquei extremamente sensível e abalada. Me surpreendi com o carinho de alguns, me magoei com a total ausência de outros e no final de tudo, abri os olhos e sobrevivi.
Talvez tenha sido este o sacolejo que eu necessitava para acordar em mim um amor mais intenso pelos meus planos, meus desejos, minha vida.
Seja o que for, seja como for estar aqui tem um sabor mais especial e no que se diz respeito a desejo é por aqui que eu ficarei por muito tempo, por que se pararmos para olhar detalhadamente meus anseios eu ainda tenho muita coisa pra fazer. E que assim seja.

 

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Na Espera



As vezes me sinto como uma menina, sentada na beira da escada esperando o pai chegar do trabalho. Mas embora eu me sinta assim as vezes, eu já não sou uma garotinha. Sou uma mulher agora. Uma mulher que não espera pelo pai, mas espera pelo amor de verdade. E eu espero.

Espero pelo click no cruzar dos olhos, pelo frio na barriga com qualquer ingênuo toque. Espero pela música especial, pela necessidade da voz, pelo desejo do encontro.

Espero pela insegurança com o espelho, pela vontade de dar sempre o meu melhor... de ser o meu melhor. Não apenas por mim, mas pelo outro que também o merece.

Espero pelos telefonemas, pelos encontros. Espero poder contar o meu dia e ouvir o dele também. 

Espero pela vontade - que me conhecendo bem sei que a terei- de ir pra cozinha preparar algo pra nós. Algo doce talvez.

Espero pelos suspiros apaixonados, espelho pela soma, espero pela troca.
Espero principalmente não estar fantasiando demais ou iludida por achar que tudo isso existe e é possível. E enquanto nada disso acontece eu vou ficando por aqui... Na espera.


Conheça meu novo cantinho >> http://resenhandomm.blogspot.com/

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Testes de revista




Sempre gostei de folhear as revistas em buscas de seus " testes" de personalidade, compatibilidade amorosa e afins. Quando mais nova, comprava revistas adolescentes especializadas no assunto, só com testes e mais testes. O que descobri? Que se esses testes são tão infalíveis assim ou eu minto nas respostas ou eu sou uma pessoa melhor do que penso ser...
Melhor, mais segura, mais legal, mais interessante...
Hoje por exemplo, me deparei com um destes testes. A pergunta: " Suas emoções estão controlando você?"
Para minha surpresa eu sou uma pessoa muito equilibrada. Sei controlar as minhas emoções e usá-las com diplomacia e seriedade... lindo não?
Mas o que falar dos meus ataques de solidão, das minhas crises de existência, da minha dúvida quanto minhas escolhas profissionais a cada dois ou três meses? O que falar da minha amiga TPM que espanta qualquer mortal que se aproxime de mim?
O que falar da minha necessidade de um chocolate numa madrugada qualquer e do entusiasmo desmedido quando algo dá certo? 
Não, eu não sou equilibrada. Minhas emoções me fazem abandonar um emprego, ser grosseira com um amigo, evitar um bate-papo despretensioso com outro. Me faz escrever textos e mais textos que muitas vezes não dizem nada para ninguém a não ser para mim mesma...
Também não sou tão divertida como dizia o outro teste, nem sedutora e nem tão boa amiga assim.
Talvez eu devesse parar de fazer esses testes de revistas que sempre estão equivocados. Ou talvez... talvez eu devesse me conhecer de verdade...




quinta-feira, 23 de setembro de 2010

O teu lugar...




Um dia você acorda e percebe que nunca teve um lugar de verdade. Percebe que assim como muitos, caiu na armadilha do bem-amado e tudo que você achou que existia se reduziu apenas a palavras e na melhor das hipóteses planos.
Talvez o outro tenha se esforçado pra te encaixar em sua vida, talvez tenha realmente desejado que você ocupasse um lugar, mas nem tudo é o que planejamos, o que desejamos. Talvez tudo não tenha passado de um plano, pra te seduzir ou pra te usar e agora que a conquista já foi obtida é hora de sair de cena.
Você pode ter dado o seu melhor, pode ter se guardado demais, pode ter acreditado na veracidade das frases feitas não importa. Importa sim, a maneira de sair.
Li uma vez que " a melhor maneira de sair é sair completamente". Então, saiamos!
Saiamos cantando e dançando ao som do Leoni, sem perder o otimismo de um dia encontrar o nosso lugar de verdade, ao lado de quem nos queira de verdade... essa é a regra!

Carro e Grana - Leoni


Houve um tempo em que tudo girava ao meu redor
Dos meus desejos e vontades
E todo mundo ria de tudo que eu dizia

E eu dizia um monte de bobagens
Eu achava que tinha de tudo para sempre
Que eu tinha amigos de verdade
Mas a verdade sempre vem bater à porta
A gente tenha ou não vontade
Já tive carro e grana
E um monte de convites pra qualquer lugar
Hoje eu só ando a pé
Mas eu continuo a andar
E aquelas pessoas que andavam ao meu redor
Hoje escolheram uma menina
Que por enquanto acredita em tudo que eles dizem
É a mesma história toda vida
O que eu sei eu sei que ela só vai descobrir
Quando ela sair de moda
Um tropeço é melhor professor do que o sucesso
É tudo bem mais claro agora

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Mulher Maravilha





Ela era linda. Pra ela, eu que era linda.
Eu admirava sua facilidade com os números, ela admirava minha intimidade com as letras.
Eu, sempre pesando mais que gostaria, imaginava como era mais fácil pra ela, sempre a mais magrinha da turma. Ela só queria desfilar pelas ruas com mais corpo e um belo decote.

Eu invejava sua liberdade de ir e vir, ela gostava de ficar em casa algumas noites. 
Ela lutava para ter um capricho realizado, eu filha única, não valorizava tanto assim o que obtinha com certa facilidade.
Ela se casou, mudou de país, voltou...é mãe. Eu continuo aqui, mais que solteira, sozinha talvez.

Durante toda a adolescência uma foi a " mulher maravilha" da outra. Mais que amigas, éramos também alguém em quem se espelhar.
Estivemos juntas na festa de 15 anos, fui madrinha de seu casamento, comi do bolo de aniversário de sua filha. Uma participou das decisões mais importantes da outra, dos segredos, das alegrias, das tristezas que nos pareciam tão maiores. 
Hoje moramos no mesmo bairro, batemos papo, reclamamos da vida e relembramos o quanto vivemos de verdade nesses anos que se passaram.
Somos hoje,  a prova viva de que a admiração não é apenas um combustível, um requisito, mas sim a alma das verdadeiras e belas amizades.



sábado, 28 de agosto de 2010

O meu homem ideal

 
Desde cedo, nós mulheres começamos a sonhar com o príncipe encantado, aquele que virá num cavalo branco nos levar para morar num lindo castelo. Passa-se a tenra idade, o príncipe encantado vira o homem ideal.
Passei os últimos dias a refletir sobre isso. 
Não sei se é bem o caso de " homem ideal" ou se é apenas o modo como imaginava que seria aquele com quem eu dividiria meus dias - e uso os verbos assim, no futuro do pretérito, por já não acreditar que eu o encontre, não exatamente desse modo - mas sei que esse ser povoou por muito tempo minha ideia de homem ideal.
Nos meus sonhos, esse homem seria alguém culto, já que pessoas inteligentes me envolvem rapidamente e me deixam " babando". Mais que culto, seria cultural. Aquele que freqüenta museus e teatros. Aquele que curte o Brasil.
Meu homem ideal preferiria MPB à música americana que nos chega enlatada, filme nacional às bobagens hollywoodianas . O meu homem ideal gosta de ler...
Na minha cabecinha romântica, o meu homem ideal seria aquele que me traria flores, aquele que preferiria um barzinho com música ao vivo ou um restaurante à uma boate lotadíssima, pediria pizza enquanto assistiríamos um filme.
Também gosta do mar, de viajar, de ter companhias.
O meu homem ideal seria maduro, e isso não possui relação alguma com sua idade.
O meu homem ideal me perguntaria como foi o meu dia e me ouviria, e depois me contaria como foi o seu.
O meu homem ideal não existe. 
Mas se por ventura, força do acaso ou presente dos deuses você conhecer alguém assim, passa meu endereço pra ele, vai que ele está a minha espera né?

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Sombra



  
A sombra que me acompanha é cinza.
A sombra, aquela ali ao lado, é fria, é muda.
Em todos os passos, por todos os dias é ela que está comigo.
A sombra que me acompanha não ri.
Observa e se permite ser observada com cautela e delicadeza
sob luzes externas, mas é sombra.
Sombra e sobra de mim mesma.
E em momentos como os de agora eu sinto
como se só ela me ouvisse. E talvez assim seja.
O meu grito ninguém ouve.
O meu canto não é vivo pra ninguém.
Meu riso, minha dor... o meu eu é meu.
Meu e do meu pedacinho de abstrato vital.
Meu e dela, minha sombra.
.
.
.
.
.
.
.
Selinho mega especial que o Chico ( http://blog-chico.blogspot.com/tinha me ofertado, e eu ainda não tinha postado.
Muito grata pelo selo, meu caro. De verdade!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Lembranças




Lembrei dele.  Talvez pelos dias de agosto e de seu aniversário que se aproxima ou talvez pelo tempo frio e chuvoso. Não sei bem o motivo, mas sei que lembrei dele.


Lembrei do medo que eu sentia em esquecer a sua voz e o conforto que ainda sinto em saber que não esqueci. Passeei por alguns cenários familiares que se eternizaram na memória e me indaguei sobre como ele estaria. Será que já terminou a faculdade? Como será que tem vivido... será que tem vivido?
Hoje lembrei dele. Inevitavelmente, lembrei de mim. Lembrei dos meus cabelos castanhos no ombro e da insegurança nos olhos. Olhos vermelhos que mesmo em lágrimas viram ele partir.
Lembrei da ansiedade pelo fim de um sofrimento, das forças que me pareciam tão mínimas e de como eu me achava que tudo seria eterno e de que se fosse assim, eu seria incapaz de resistir.
Algum tempo já se passou, o sentimento mudou e eu resisti. Hoje somos estranhos com um passado em comum, com uma história vivida e divida, mas uma história que já passou. 
E que mesmo assim, depois do ponto final ainda vive, bem aqui nas minhas lembranças. E por viver me fez encontrá-lo e observá-lo em tons de cinza como os de quem relembra uma cena de filme. Um filme que terminou, mas nem por isso deixou de ter existido na sala de cinema, no dvd do quarto, na memória de quem assistiu...
Talvez por isso, hoje eu tenha lembrado dele.

  

terça-feira, 20 de julho de 2010

Simplesmente Amigos...







Há quem diga que sou uma pessoa de muitos amigos. Há também quem diga que minhas relações são superficiais e que na verdade não sou amiga de ninguém.
Eu, particularmente, acho que não tenho as relações de amizades que passam nos cinemas e sei que dificilmente serei lembrada e mencionada numa lista dos três melhores amigos de alguém.
Mas também sei que existem pessoas que confiam em mim de verdade. Pessoas que me confidenciam segredos, que me ligam para contar uma novidade ou apenas para saber porque eu sumi.
Sei de pessoas que se preocupam em querer me alegrar, me surpreender, me visitar. Pessoas que se interessam mesmo nos meus problemas e tentam encontrar uma solução, pessoas que querem mesmo ouvir a minha opinião ou querem desabafar.
Sei de pessoas que me admiram, mesmo conhecendo cada defeito meu, pessoas que gostam da minha presença em alguma reunião e até aquelas que realmente torcem para que eu esteja presente em determinado lugar. Conheço pessoas que não concordam com o meu modo de pensar e agir, e mesmo assim não se afastam de mim só por isso.
Sei de pessoas que querem dividir a vida - ou parte dela- comigo e que as vezes até cobram quando eu não faço o mesmo. Pessoas que gostam de mim, exatamente como eu sou.
Posso não ser a melhor amiga de ninguém, sem problemas. Mas se isso tudo não for sintomas de amizade, eu não sei mais o que poderia ser...
A todas essas pessoas, e a você que veio aqui só pra saber o que eu ando escrevendo... um Feliz Dia Do Amigo!


*
*
*
*
*
*
*
*
*
*



Por falar em amigo, ganhei um selinho de um amigo blogueiro. ( Visite-o em http://blog-chico.blogspot.com/ )
Acabei perdendo meus selos quando fui mudar a" roupa" do meu blog e fazia tempos que não recebia um.
E eu amei *-* rs
Segue abaixo o selo, as regrinhas e as indicações.
1- Colocar a imagem do selo no seu blog.

2- Indicar o link do blog que nos indicou.
3- Indicar blogs, para receber o selo
.
4- Comentar nos Blogs dos indicados sobre este selo.





Aproveito a data e ofereço o selo as amigas blogueiras:



São blogs que eu adoro!

About Me

Minha foto
♥MáH♥
Alguém aprendendo a lidar com emoções, sentimentos...alguém aprendendo a viver.
Visualizar meu perfil completo