topbella

domingo, 13 de dezembro de 2009

2010...


Em 2009 eu experimentei a alegria de um bom dia de carnaval. Em 2010 eu quero experimentar novas alegrias. Em 2009 eu aprendi a planejar melhor o tempo. Em 2010 quero aprender a me planejar melhor.
Em 2009 eu chorei de dor física. Em 2010 quero chorar de emoção. Em 2009 eu revelei pra alguns um segredo. Em 2010 quero revelar um pouco mais meus sentimentos.
Em 2009 eu conheci alguns amigos. Em 2010 quero conhecer os que ainda faltam. Em 2009 eu venci um jogo. Em 20010 quero vencer minha acomodação.
Em 2009 eu perdi alguns quilos. Em 2010 quero perder a preguiça. Em 2009 eu comprei um pc novo. Em 2010 quero comprar tudo que sentir vontade.
Em 2009 eu abracei o passado. Em 2010 quero abraçar o inédito. Em 2009 eu escrevi bem pouco. Em 2010 quero escrever bem mais.
Em 2009 eu brindei a paixão de familiares e amigos. Em 2010 quero brindar a uma paixão que seja minha. Em 2009 eu optei pelo rosa, em 2010 quero optar por novas cores algumas vezes.
Em 2009 eu me senti abandonada. Em 2010 quero me sentir esperada, desejada. Em 2009 eu reencontrei uma grande amiga. Em 2010 quero reencontrar o mundo acadêmico.
Em 2009 eu apaguei algumas ofensas. Em 2010 quero apagar a minha capacidade de ofender sem querer. Em 2009 eu ensinei letras e números, em 2010 quero ensinar mais da vida.
Em 2009 eu 2009 eu descobri que posso lidar com crianças. Em 2010 quero descobrir um jeito de lidar melhor comigo mesma. Em 2009 eu me encontrei com o luto, em 2010 quero me encontrar com o novo.
Em 2009 eu me despedi do meu companheiro canino. Em 2010 quero me despedir do vazio que ficou sem ele. Em 2009 eu acordei meu instinto materno, mesmo não sendo mãe. Em 2010 quero acordar meu coração.
Em 2009 me surpreendi recebendo um apoio inesperado. Em 2010 quero surpreender outras pessoas, as apoiando quando precisarem.
Em 2009 eu vivi bem menos do que poderia ter vivido. Em 2010 quero viver bem mais do que eu acredito que posso viver.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

2009


Talvez seja um pouco cedo, mas como todo fim de ano envolve correrias e ocupações, resolvi já falar sobre o ano que se passou.
Não, não vou citar nomes de forma direta, até porque nem seria preciso. Relembro aqui apenas as sensações e sentimentos que se eternizaram em mim. Não que não possam ser superados, melhorados, mas sim que marcaram esse ano de tal forma, que jamais serão por mim, totalmente esquecidos...
Coisas boas e ruins, que saem diretamente do meu 2009 para seguir comigo pela vida inteira...
Eternizaram-se em mim:
* A sensação de recomeço. Recomeço de verdade sem pé e coração no passado.
*O desespero diante do novo, associado ao peso da responsabilidade sob o futuro de alguém.
*O alívio do dever cumprido diante da superação de alguém que contou com sua ajuda.
* A falta do colo da mãe ao se sentir ameaçada.
* A dor da despedida eterna daquele grande companheiro, que mesmo com quatro patas, cuidava de mim.
* A surpresa de uma declaração inesperada que acabou em nada...
*A magia de transformar virtual em real.
*A decepção de não ser compreendida por quem eu mais tentei compreender.
* As risadas depois de mal-entendidos que a vida, junto a algumas ferramentas promove.
*A cumplicidade num primeiro encontro de olhares onde se podia ouvir " sim sou eu. sim é você, somos nós. Os mesmos de sempre".
*O gosto amargo do engano.
* O ferver da ira.
* A sensação de estar desprotegida e desnuda quando colocada pela parede.
* A dor aguda de uma doença, capaz de me fazer desejar a morte.
* O sabor da comida caseira da vovó, depois de dias sem poder comer. rs
* A sensação de acolhimento e proteção por braços ainda não tocados.
* O afeto e carinho expresso num beijo na testa, suficiente pra me responder tantas coisas.
* A sensação de abandono e desprezo em meio a uma pequena multidão.
* O arrependimentos de falas que jamais deveriam ser ditas.
* O peso do fracasso.
* A dúvida diante da real existência deste fracasso.
*A solidão diante da mudança de pensamentos e ambições.
* O aconchego do lar que não é meu, mas que foi cuidadosamente preparado para que eu me sentisse como se fosse.
*A dor da troca de idéias, afetos e companhias ( nem sempre trocados por mim).
* A indescritível sensação de se sentir amada, no sentido mais puro da palavra.
* A esperança sempre renovada a cada final de ano, numa tentativa insana de acreditar que o próximo será melhor. E a de ser!

Aos que por aqui passarem...




MáH... Marcele Millen

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Despedindo...


Entre tantas decisões, a mais acertada: Me despedir.
Não vou dar meu último adeus e partir, porque isso seria impossível, tamanho o sentimento que se criou. Vou sim, me recolher por um tempo até arrancar de mim a capacidade de ficar mal com coisas que me são abstratas.
Talvez seja hora de organizar a vida, engavetar o passado e sonhar com o futuro. Um futuro REAL, concreto e palpável.
Talvez esteja na hora de separar dimensões que sempre se completaram em mim...
Sim, talvez seja um erro essa atitude, mas minha alma pede isso a algum tempo... e dessa vez eu a ouvirei.
Dói em mim me afastar tanto e dói ainda mais querer esse afastamento. Mas também doeu os mal entendidos, as acusações, as substituições, a indiferença, as desconfianças, as subestimações.
O abstrato feriu o concreto: atravessou metais e tecidos e chegou até a carne.
Então, ficamos assim...
Eu cuido de verdade de mim e volto mais realista, mais perspicaz...Volto menos ingênua e sem lentes cor de rosa nos olhos.
Se existir saudades, reviva as histórias inventadas em nossas "segundas" vidas.
Não temos o cheiro um do outro, nem conhecemos a textura da nossa pele...mas sabemos sentir com a alma. E foi nisso que eu me apeguei por tanto tempo.
Se sentir saudades os atalhos que levam até à mim ainda serão os mesmos.
Se sentir saudades...talvez essa vida de mentira tenha um pouco de verdade.
E se assim for, eu estarei errada e toda a dor terá valido a pena.


( Não, esse texto não se refere a uma única pessoa em especial, não é uma carta...É fruto de um conjunto de situações...)

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Bolo em fatias




Eu repetia pra mim mesma, por diversas vezes
que o segundo pedaço do bolo
tem exatamente o mesmo sabor que o primeiro.
Até perceber que sim, é o mesmo sabor,
o mesmo bolo...
Mas ambos não possuem a mesma emoção...
Não existe a mesma magia,
nem o mesmo brilho no olhar de quem o oferece.
O segundo pedaço de bolo
mesmo saboroso, mesmo coberto de afeto
nunca deixará de ser o segundo.
A magia já terá passado, o brilho já terá se diluído
a emoção já terá sido tolhida...
Obrigado meu bem pelo segundo...
terceiro pedaço de bolo...
Mas dessa festa, eu não já quero mais participar.






Ferramenta do destino


Hoje me sinto leve...
Leve pra partir, sem drama, sem rancor.
É chegada a hora de fazer as malas,
guardar cada pedacinho eternizado, cada emoção sentida e partir.
E eu vou...
Leve por saber que fiz diferença, satisfeita pro saber que diminui a carga.
Chegará um dia em que a saudade não mais nos doerá...
e o que ficará será um doce sabor de algo bom que passou.
Chegará um dia em que a lembrança será vaga
e nos tornaremos desconhecidos que um dia chegou a se conhecer...
É minha história, é minha vida
Sou ferramenta do destino e não há como fugir.
Não precisamos de intensas despedidas...
Assim como surgi, eu irei...Leve...suave e devagar.
Sem dizer adeus e talvez sem mais retornar.
Eu vou... Consciente que nosso momento já passou,
assim como tantos outros passaram por mim.
Consciente que se meu brilho aqui se apagou...Ainda há novos céus para brilhar.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Nós


Eu já não sei o que será de nós... Eu já não consigo imaginar o que sobrará de nós em meio as cinzas de um amor que está nos queimando.

Um amor não-carnal, quase abstrato...mas que fere.

Eu não quero passar o resto de nossas vidas perdoando ou pedindo perdão, enquanto as oportunidades deixam de ser vividas por mim, por ti...por nós.

Talvez, num futuro não muito distante, isso tudo não mais exista...Talvez o nosso nós esteja tão individual e cheio de si, que as palavras já não serão mais bem vindas e as sombras das mágoas já terá nos tomado pela mão...

E o que ficará disso tudo?

Viverá em ti o som do lado bom da vida... Viverá em mim a sensação do inesperado surpreendendo-me...

Viverá em nós as saudades de uma amizade que de tão intensa, um dia esbarrou nos ciúmes, tropeçou nas palavras ditas - e não ditas, confesso- e caiu aos pés da mágoa se perdendo de vez pelos caminhos da vida.

Ainda há tempo, meu tudo...

Ainda há tempo de amar sem cobrar, sem idealizar, sem esperar... Ainda há tempo de nos amarmos como somos... intensos ou calados, mergulhando de cabeça e enfrentando ou recuando até o calor passar...

Deixemos nosso amor ser maior que isso... Deixemos nossas outras relações nos lugares delas para vivermos a nossa...

Ainda há tempo...

De mãos dadas, fechemos os olhos para o que nos é externo, antes que a frase "nossa amizade não dá" seja verdadeira e forte o bastante para resistir.

Ainda há tempo... ainda há amor.




segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Primavera






Um dia eu, com você, derrubei todas as cercas

e deixei meu coração livre para ser germinado
Um dia eu desliguei o som confuso de terceiros

e deixei que nossa música fosse criada.

Um dia eu esperei ansiosa pelo abraço guardado...

Hoje é fácil dizer que depois desse tempo

meu coração bate em primavera.

Hoje somos uma suave sinfonia,

até mesmo quando novos músicos tentam fazer parte dela.

Hoje o abraço é refúgio, proteção

e se ainda está guardado está exatamente como me sinto,

guardada sob seus braços.
( Ricks, pra vc!)

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Cinza


Mergulhando na imensidão cinza do céu, nada mais me importa.

Já não me importa concordar, já não me importa mais entender.

Se o caminho foi escolhido, o destino inevitavelmente foi traçado.

E eu, eu não vou seguir os teus passos.

Existem momentos na vida em que quando a decisão não é tomada,

ela vem lhe bater a porta.

Talvez esse seja um desses momentos.

Talvez fechar os olhos e fingir alegria já não engane mais a nós mesmos.

Talvez o cinza do céu seja mais que um anuncio de tempestade,

talvez os deuses estejam de luto.

São tantas as hipóteses, tantas as dúvidas...Todas elas sem luz.

Não há mais fuga. Não há porque olhar pra trás, não há porque tentar.

Assim sendo, pegue sua velha taça, e venha brindar sob o cinza do céu...

Aquilo que um dia foi, mas que nunca voltará a ser.

domingo, 13 de setembro de 2009

sábado, 29 de agosto de 2009

Manhã e sol


E naquela manhã fez-se o sol. Não apenas o sol astro rei, que a muito surgia por ali... Mas fez-se sol em sua vida.
O som que ecoava já não era apenas ruído, era música agora.

Sinais vitais surgiam em seu caminho, sinais que para muitos passavam despercebidos, mas não para ela que considerava vital sentir o sorriso brotar em seu rosto sem nenhuma razão aparente.
Foi assim que se sentiu mais viva, mais interessante, mais bela talvez.
E o mais importante de tudo: foi assim que se reencontrou consigo mesma, se reconheceu, se fez presente... se fez verdade.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Decepções ( ?!?)


Depois de muito... o retorno.

Confesso que foi complicado compreender certas coisas, foi complicado vivenciar várias situações de uma vez só, mas aqui estou.

Um pouco decepcionada, mas quem nunca passou por isso?

Decepciono-me por não conseguir compreender de bom grado que não posso exigir do outro, o que eu ofereço, do mesmo jeito, da mesma intensidade. Decepciono-me por me decepcionar.

No discurso mais belo, tudo são rosas vermelhas e radiantes, até chegar a realidade e mostrar que mesmo nas rosas há espinhos, e pétalas murchando a cada segundo que se avança.

Enfim... retorno.

Mais consciente, menos cor-de-rosa.

Pelo menos até que esta lembrança adormeça.



Sim, eu aderi a moda do Twitter! rs

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Toda paixão chega ao fim


Pensamos amor, vivemos paixão.
Paixão pelo acolhimento, pelo carinho
Paixão pelo encontro de histórias semelhantes.
Pensamos eterno, vivemos momentos...
E vivemos talvez com a mesma cumplicidade
de quem conviveu por longos anos...
Mas com a mesma fragilidade do que sempre foi...
momentos.
Foi verdadeiro, foi real.
Foi sentido pela alma...
Porém, não foi o que pensamos, foi o que vivemos...
vivemos paixão.
E toda paixão avassaladora se perde com o tempo...
O nosso tempo de se perder é agora e o nosso adeus já bate a porta...

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Sentir II


Me faça te adorar, te amar...
Ranque de mim os mais profundos suspiros, a mais dolorosa saudade.
Ou... Me faça te odiar, te repugnar.
Me faça implicar com a tua voz, sei jeito, seu cheiro.
Roube dos meus lábios declarações, promessas de amor eterno, ou talvez alfinetadas e provocações.Tire dos meus dias hora de sonhos acordada, horas de raciocínio e planos de como o atingir.
Seja como for, me faça pensar em você.Tome os meus dias e faça parte deles. Faça meu sangue ferver, minha paz acabar, meu mundo girar.
Faça o que quiser, o que o teu coração mandar...
Só não me faça te olhar sem que o coração acelere, sem que a face se ruborize, que as palavras se percam ou nem cheguem a se formar . Só não me faça não ter reação.
Me faça me sentir viva... Me faça sentir.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

O que me é eterno...


Algumas pessoas entram em nossas vidas e não saem jamais.
O tempo passa... os risos compartilhados diminuem.As palavras se resumem, as horas correm mais velozes. As vezes, esquecemos seus sobrenomes, apagamos o tom de sua voz da memória e nos ocupamos demais no dia de natal.
O mergulho no cotidiano mais próximo é inevitável...Mas não é o fim. Não é o fim, porque nunca haverá um fim. E o que fica então?
O que fica é a sensação de acolhimento no momento mais difícil. É o prazer da companhia num dia cinzento. O que fica é o sabor da gargalhada divida...É a lembrança de uma agradável surpresa.
O que fica, de verdade, é a certeza do sentimento de alguém, mesmo que haja distancia, mesmo que haja tempo.
Corações podem estar separados por ares e mares, podem se passar anos, décadas.... Pode se passar uma vida que no final de tudo, aquela pessoa ainda estará lá... no fundo do coração, sorrindo pra nossa alma.
Isso porque, algumas pessoas entram em nossas vidas e não saem jamais. Obrigada por se fazer eterno.



(Post Dedicado ao amigo Luis. O meu eterno Luis...minha eterna Foca, rs)





domingo, 31 de maio de 2009

Fases


E aí... a gente descobre que tudo é fase.
Fase de jazz, fase de samba. Fase do preto, fase do branco...
Fase do plantio e da colheita.
Descobre que tudo... foi fase.
Fecho os olhos e vejo que os momentos tão belos foi fase. Que os sorrisos tão largos... foziam parte de uma fase. Que a presença foi fase.
Não me disseram que a fase passaria.
Não me contaram que o encantamento quebraria.
Pra ser sincera, meu bem, não me disseram que tudo era fase.
E agora, descobrir tudo isso me dói. Ver que minha imagem está se diluindo, minha voz se distanciando.. minha presença se acabando me dói.
Se a música lhe é fase... se a cor lhe é fase, por que fazer de mim uma simples fase de vida?
Por que entrar na minha vida por inteiro... e só me dar de ti a metade?
Mas se a escolha é esta... só me resta deixar-te ir, e com os olhos marejados torcer para que tenha sido, ao menos, uma fase inesquecível.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

23 anos....


Não sei o que dizer. Não sei o que sentir, nem o que deveria estar sentindo.
Anos atrás, era mais fácil. Os pensamentos viam surgindo, quase no mesmo ritual. Era um doloroso encontro comigo mesma, com o que eu tinha feito de mim, com o que eu tinha me tornado.
Hoje existe uma estranheza em tudo isso. Seja por saber algumas respostas, seja por me orgulhar de saber e de poder responder sem receio. Uma boa história ao meu ver, com direito a tantas emoções que se acabasse aqui, já teria valido a pena.
Pois é... não sei o que sentir. E como não sei....vou esperar que o sentimento venha por si só.
Enquanto isso... vou comemorando.
23 aninhos amanhã ( 14/05).... viva eu!!!!

_______________________________________________



Teka minha linda, próximo post eu faço o même... estou atrasada, eu sei. Mas juro que vou fazer!
Bjão0 especial por SEMPRE lembrar de mim!

domingo, 3 de maio de 2009

As janelas da alma


Já me edifiquei com olhares companheiros
que me gritavam " estou com você!".
Já me alegrei com olhos que me sorriam e que me cumprimentavam.
Já me fortaleci por enxergar num olhar
um pedido de proteção...
Já pude eternizar em mim,
o encanto de olhinhos orgulhosos por terem acertado.
Já me arrepiei com olhares frios
me irritei com olhares zombadores
e senti a face ruborizar com olhares cruzados,
num harmônico encontro que parecia fazer o mundo parar.

Já me emocionei com olhares que marejavam
que choravam e que brilhavam.
Já me envergonhei com olhares que só no ato de piscar
pareciam conseguir desnudar.
Já me tranquilizei com olhares de aprovação,
que se abriam um pouco mais,
de forma bem sutil, ao encontrar os meus...
mas também já me desconcentrei com olhares de desaprovação.
Já "ouvi" olhares e já me calei
na esperança de que os meus
pudessem se expressar melhor do que em palavras.
Já me despedi dizendo adeus só com os olhos,
sem saber que, depois de eternizado na alma
o adeus era apenas um até breve.
Eternizei em mim
o abrir de olhos frente ao sol
assim como me será eterna,
a lembrança do fechar de olhos frente a morte.
Olhos...olhares
castanhos, negros, verdes e azuis...
Olhos coloridos... grandes, pequenos, abertos e fechados.
Olhares reais e até olhares virtuais...
Olhares que carregam vida
que desvendam almas.
Olhares que se eternizam em mim
E me fazem querer enxergar cada vez mais a vida lá fora.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Uma carta na tentativa do Adeus...

O atraso das palavras é fruto de uma dor gigantesca que calou minha voz, impediu o adeus. Mas como dizer adeus?

Como imaginar o acordar sem o geladinho do teu focinho no meu rosto? Como imaginar a chegada de uma viagem sem a tua espera no ponto do ônibus junto a minha mãe e aquele monte de pulinhos nas minhas pernas?

Como não lembrar de andar pelo quarto durante a noite com todo o cuidado do mundo, só para não pisar na bola de pelo que sempre me fez companhia? Companhia? A MELHOR companhia.

Ainda lembro bem dos pelos esvoaçantes correndo pela rua sem rumo antes do nosso primeiro cruzar de olhos. O primeiro de muitos que viriam, já que numa prova da existência de amor a primeira vista, foi ali que você passou a ter dona... a ter lar.

O primeiro banho, a primeira tosa. O olhar desconfiado de quem exibia sua primeira gravatinha borboleta. O primeiro latido... tão demorado que eu precisei da ajuda de um ursinho de pelúcia para fazê-lo ouvir. Um cachorrinho tão fofo com um latido tão potente.

O primeiro "ataque" ao namorado que teve a audácia de me pegar no colo, a primeira demonstração de ciúmes... o primeiro desaparecimento, que quase me levou a loucura... e hoje, você não vai voltar mais.

A nossa música... quem vai me acompanhar aos grunidos e uivados os versos do " país tropical, abençoado por Deus"? Quem vai ouvir de mim o " te amo bebê" de todos os dias, quem vai me acompanhar até a padaria, ao mercadinho e até mesmo a lanchonete durante a noite, me esperando deitadinho na porta?

Pra quem eu vou ligar de uma viagem e bater papo toda manhosa ao telefone dizendo que " a mamãe já vai chegar"? Quem vai se espreguiçar o tempo todo e ouvir que é exatamente igual a dona, rs? Quem vai atacar o secador, roubar os ursinhos e as meias de cima da cama?

Ainda não me acostumei ao vazio do quarto, ao silencio das manhãs, ao seu calorzinho no meu colo. Falta um pedaço de mim.

Ver você partir, ali, olhando pra mim, me colocou diante da minha impotência, da dor, do desespero, do obscuro eu confesso.

Mas ter literalmente encontrado você no meu caminho me colocou diante de coisas maiores como o carinho, o afeto, o companheirismo, a responsabilidade... o amor. E é por isso, exatamente por isso que esse adeus de fato nunca chegará. Por que você viverá em mim, nas minhas melhores lembranças... até o fim.

sexta-feira, 20 de março de 2009


Off por uns dias...

Tempo de metarmofose..... tempo de virar borboleta!!!

domingo, 1 de março de 2009

Como eu virei MáH.


Quando pequena, era Pretinha. Um apelido um tanto irônico... já que sempre fui bem branquelinha. Depois, tive meus tempos de Cele... tempos tão bons , de escola, de muitos amigos, de descobertas.

Tive um longo tempo de Marcele. Tempo de menina mulher, um pouco séria, um pouco tímida. Meio melancólica, meio reservada. Um tempo essesncial, tempo comigo mesma.

Mas, já dizia o poeta... o tempo não para. E tenho vivido tempos de MáH. Uma assinatura eletrônica, que de repente tomou proporções gigantes, me transformando no que sou hoje.

Hoje sou a MáH. Mais irreverente, mais brincalhona, mais sorridente, eu acho.

Não que a fantasia da Pretinha tenha desaparecido, não que o encantamento da Cele tenha se esgotado, menos ainda que a seriedade da Marcele tenha se dissipado.

Na verdade, creio eu, que todas convivem juntas, em perfeita harmonia agora.

E é assim que eu assino a partir de hoje. Até que, quem sabe, surja em mim uma nova fase, um novo nome.

Mas hoje... Hoje eu sou a MáH.

MáH Millen.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Selo Roxie


Obaaa! Selinho novo na minha volta ao blog.
Adorei né... Muito obrigada Chico... Um dos "mocinhos" com alma de artistaaa preferido
hahahahahaha
Bem... vamos lá...

Regrinhas:


1) Exibir a imagem do selo "Seu blog é ROXIE!" e escrever essas regras abaixo dele.

2) Colocar quem te deu o selo nos seus blogs indicados (amigos). (Dispenso como regra... rs)

3) Escrever 5 coisas que são ROXIE (1ª sobre música, 2ª sobre televisão e cinema, 3ª três países que gostaria de conhecer, 4ª três cores favoritas e 5ª três hobbies)

4) Indicar 10 blogs que você ache ROXIE. ( PuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuTz.... 10 blog.... vou indicar isso tudo não)

5) Avise a pessoa.


Ok, antes de tudo... não sou boa em regra, como deu pra perceber. Rsrsrss

As regras são essas... e eu vou quebrar a regra nº 4....


Vamos lá....

♥Música: Música Popular Brasileira. Ainda não entendo porque meus amigos vão procurar em músicas internacionais frases que descrevam o que sentem, quanto temos uma rica lista de artistas e musicas daqui, maravilhosas. E não digo só as chamadas "musicas de raiz" não...
Cazuza, Legião, Leoni, Paralamas, CApital Inicial, Vanessa da Matta... Adoro essa galera e não acho que eles deixem nada a desejar frente aos pops americanos não.

♥Televisão e Cinema: Embora seja uma arte que eu tenha pouco interesse, sou inteiramente apaixonada pela minisérie exibida pela globo de nome Queridos Amigos. Pra mim, um dos grandes acertos da emissora.

♥Três países que gostaria de conhecer: Gosto da Inglaterra, da China, de Portugal....

♥Três cores favoritas; Roxo ( tbn em tons de lilás etc.), Preto, Vermelho.

♥Três Hobbies: Escrever, escrever, internet ( viciada em msn e orkut, eu confesso)

♥ Blogs que eu indico para receber o selo... e fazer o même.. rs







Beijo e até muito breve!




segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Na estrada



Se fecho os olhos e imagino uma estrada
eu consigo sentir uma brisa no rosto
consigo ver o amarelo das folhas no chão.
Na estrada da vida
hoje sou apenas eu, sem dar nada de mim.
Meus passos são largos, pesados...
Carrego nas costas histórias vividas , sonhadas
Carrego na alma marcas das dores passadas, curadas.
E assim caminho.
Não existem mais borboletas...
Não há sinal nenhum de tempestade.
Hoje, na estrada da vida
só me resta seguir a jornada.
Focar no horizonte e sem olhar pra trás
seguir adiante...
Até avistar uma nova estação... uma nova parada.
E lá vou eu...



__________________________________________________________________



Selinhooo00000ooooO


Ganhei o selo do " Blog do Chico" (http://blog-chico.blogspot.com/) e nem preciso dizer que adorei né... rsrrss


Bem, existe toda uma regra pra re passar os selos e tal... mas não vou cumprir... rsrsrrss
Não hoje, não desta vez. Desta vez, o selo fica comigo...
Obrigadaaaaa Chico, de verdade! E desculpa a quebra do protocolo.... mas, dessa vez, vai ser assim... rs

Bjo00ooo gigante pra ti.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Sentir

( Como não consegui escrever nada pra postar, estou repetindo um post de algum tempo... talvez nele esteja a razão pra essa ausência de inspiração)



Não me sinto.
Há em mim um estranho equilíbrio que me incomoda.
Não sinto no peito as emoções em ebulição
tentando se expressarem em palavras.
Não sinto na alma intensidade alguma.
Hoje sou só carne..
Entre afetos e desafetos eu resisti.
Entre abstratos e concretos,
entre hipóteses e certezas... sobrevivi.
Mas hoje não me sinto.
Nada mais triste e incomodo do que não se sentir.
O que me conforma é que meus cacos estão jogados
perdidos...
Podendo se refazer eu optei em renascer
Ainda terei a carne para sentir
ainda terei a alma, o medo
a raiva e o desejo
ainda sentirei o amor e a vida, eu sei.
Mas hoje...
hoje eu ainda não me sinto.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

2008... 2009


2008 se foi... um ano muito importante. Um ano de reencontro. E um reencontro tão mágico, tão importante que fico pensando como pude me afastar um dia... 2008 foi o ano do reencontro comigo mesma. Os velhos hábitos, as antigas maneiras de gargalhar, o velho e bom modo de saber muito de mim, e não saber nada do que fazer com o que sei... Não saber o que quero de verdade, e mesmo assim, seguir.
Entre novas e antigas amizades, vi surgir borboletas que jurava que não surgiriam mais. Experimentei sensações que jurava não sentir mais.... me vi viva.
O que eu quero de 2009? Não sei ( e isso já me foi um problemão essa semana) mas não estou, agora, preocupada com isso. A única certeza que tenho é que quero mais amor....
Amor circulando entre minha mãe e eu, minha avó e eu... amor dos meus amigos. Amor dos meus rolos quase namoros... Amor.
Quero a emoção que fica sufocada, a lágrima que se esconde, a palavra que se cala. Sou emocional, e sem emoção a vida perde o sentido pra mim.
Ta aí... acho que descobri uma das coisas que quero pra 2009: que este seja um ano de muita emoção... isso é o que me importa!

About Me

Minha foto
♥MáH♥
Alguém aprendendo a lidar com emoções, sentimentos...alguém aprendendo a viver.
Visualizar meu perfil completo